aqu4hrmaq8pzjthlhspu

A Microsoft anunciou hoje (15) a compra da Mojang, estúdio criador de Minercraft, por US$ 2.5 bilhões. Não foi uma surpresa, já que os rumores sobre essa operação apareceram na internet nos últimos dias. Com a transação anunciada, Marks “Notch” Persson, criador do popular jogo, também decidiu tornar oficial a sua saída da empresa.

Em seu blog oficial, Persson disse os motivos para deixar a empresa após a conclusão. Afirmou que não se vê como um genuíno desenvolvedor de jogos, e faz isso porque ama programar, além de ser algo divertido. Disse que nunca teve a intensão de transformar seus jogos em grades sucessos, e jamais teve a pretensão de mudar o mundo com os seus jogos, como muitos dizem.

Persson também desabafou um pouco sobre as reclamações contra ele em relação às licenças de usuário (EULA), e que no meio disso tudo, se deu conta que ele tinha virado um símbolo de algo muito maior, algo que ele jamais desejou. Não quer trabalhar em algo que ele não deseja, nem ser um empreendedor. Ele não se vê como um CEO, mas sim como um programador nerd que gosta de compartilhar suas opiniões no Twitter.

Reforçou que tão logo a venda para a Microsoft se conclua, ele deixará a Mojang para desenvolver pequenos experimentos para a web. “Notch” está ciente que sua decisão contradiz muitas coisas do que ele já disse em público, e não tem maiores explicações para dar sobre isso.

Por fim, agradece a todos que ajudaram a transformar o Minercraft no que ele é hoje, e confessa que não pode ser responsável por algo tão grande. E lembra duas coisas: 1) em um sentido muito maior, o jogo pertence a todos há muito tempo, e isso, nem a Microsoft vai mudar; 2) a decisão não foi tomada pelo dinheiro.

O vídeo abaixo – postado pelo próprio Persson – sintetiza metaforicamente como ele estava se sentindo para tomar essa decisão.

 

Via Notch.net