windows-10-logo

“Lenta, porém, segura”. Assim pode ser descrita a evolução da cota de mercado do Windows 10, de acordo com a NetMarketShare, com dados do dia 1 de março.

Por um lado, a tendência de crescimento do Windows 10 é uma constante que se repete desde o seu lançamento. Por outro lado, é um crescimento lento demais (0.97% em fevereiro, alcançando os 13%) para o qeu se esperava de um sistema gratuito e para as previsões da Microsoft.

O grande problema para a adoção do Windows 10 responde pelo nome de Windows 7. O líder absoluto nos desktops só perdeu um décimo de cota de mercado em fevereiro, e tudo indica que vai seguir reinando por muito tempo, ou até pelo menos o dia 29 de julho, que é quando a gratuidade da atualização para o Windows 10 vai chegar ao fim (e muitos vão se decidir se vale a pena ou não aproveitar o momento para atualizar seus equipamentos).

Windows10_cuota_marzo_2

Outro ponto interessante a favor da Microsoft são os dados de adoção do Windows 10 nas empresas, que já é de 18%. É curioso ver que o Windows 10 nas empresas supere a cota de consumo geral, e isso se explica pelo fim das grandes migrações para o Windows 8, ainda mais agora que o grande update (Threshold 2) está disponível.

Tanto o Windows 8 como o Windows XP (ambos sem suporte) seguem em queda de cota de mercado, apesar do segundo ter uma porcentagem ‘anormal’ de 11%. O Windows 8.1 também perde alguns décimos, ficando na casa dos 10%. Mac OS X tem 6%, e o Linux com aproximadamente 2%.

Via NetMarketShare, Spiceworks