No universo das tecnologias, a evolução é constate e, por isso, nunca nada se poderá dar por garantido, mas existem algumas tendências que têm tudo para dar certo e que desde cedo foram previstas por especialistas da área.

Foi o caso da internet a meio dos anos 90, em que mesmo muitos nomes já gigantes da tecnologia não conseguiram prever o potencial da internet como Bill Gates já o admitiu, e com isso permitiu que se criasse espaço para a Google. Ou a mesma coisa com os smartphones, onde a líder a vender celulares era a Nokia e que ao menosprezar esse potencial, acabou sendo ultrapassada por outras marcas e nunca mais se conseguiu recompor.

Por isso, as novas tecnologias atualmente são analisadas e avaliadas por vários especialistas para que não haja erros clamorosos como esses. Nesse sentido, a próxima grande inovação com mais potencial é mesmo a realidade virtual, que apesar de já existir, ainda está numa fase muito inicial e todo o potencial que a tecnologia apresenta está começando a ser explorado.

Atualmente, já existem diversos equipamentos que são compatíveis com algum meio de transmitir esta nova tecnologia, desde smartphones a TV’s ou até consoles como o PlayStation que tem o seu VR com um grande potencial e investimento, e com números muito interessantes desde o seu lançamento.

 

 

Contudo, tal como se passou com algumas outras inovações tecnológicas recentes, podem haver alguns entraves a que esta tecnologia se desenvolva tão rápido quanto esperado, uma vez que, por esta altura já seria de esperar que esta tecnologia estivesse mais difundida no mercado. Foi o caso, por exemplo, dos televisores 3D que acabaram por não ter o sucesso esperado porque eram muito dispendiosos, requeriam equipamentos extra como os óculos e acabavam sendo pouco práticos.

Isso levou a que outras tecnologias surgissem e tivessem cativado mais pessoas, como até as transmissões 360o. Por isso é que esta tecnologia apresenta um potencial como nunca antes visto até então, mesmo sendo dispendiosa e necessitar de equipamentos extra, porque abre portas a uma forma completamente nova de entretenimento e uma revolução em jogos e filmes.

No entanto, por “levar” o utilizador a estar dentro de outra realidade, as empresas estão investindo fortemente em equipamentos complementares como luvas e fatos com sensores que interajam com o que estiver acontecendo dentro da realidade virtual que você só estava vendo. Pensando nisso, alguns games e, sobretudo os online, vão ter uma grande revolução em breve permitindo a que o gamer faça parte do universo do game em vez de “apenas” o jogar. Mas também os filmes e transmissões televisivas que abrem umas portas que nunca tinham sido abertas anteriormente.

 

 

Claro que além do entretenimento, essa tecnologia abre portas a nível profissional que também são fantásticas e representam uma evolução muito grande. No entanto, como a tecnologia está sempre em constante evolução, é bem provável que mesmo as inovações que estamos prevendo possam ser poucas e muitas nem nos ocorreriam.

Por tudo isso e com o potencial que esse tipo de tecnologia disponibiliza acreditamos que 2017 vai ser o ano onde a realidade virtual vai passar a ser uma certeza, no que diz respeito a canal de entretenimento.