carregador-sem-fio-smartphones

Qualquer pessoa que tenha um smartphone já pensou em recarregar a bateria do seu dispositivo apenas se sentando em um café, restaurante ou aeroporto, e deixando o telefone em cima da mesa, sem precisar retirar cabos da mochila, ou procurar uma tomada. Mas, infelizmente, a tecnologia de eletricidade sem fio ainda não existe. O que existe é o sistema de recarga por indução, que também é chamado de “recarga sem fio”, por não usar cabos. Mas não é 100% sem fio. Nem por isso deve ser desprezada. Pelo contrário. É o motivo desse post.

A recarga por indução não usa cabos, mas obriga que o smartphone ou qualquer outro dispositivo em questão fique em uma base, para que a carga seja transferida através de ondas magnéticas. Algumas bases permitem que você separe o smartphone da base de forma breve para o seu uso, mas não permite uma distância muito grande para a sua recarga.

Mas, antes que você diga “é o que temos para hoje”, vamos ver as vantagens que podemos obter com a tecnologia que temos ao nosso dispor nesse momento.

Recarga de bateria sem fio no presente

Já existem muitos dispositivos que podem ser recarregados sem fio no mundo dos smartphones, e tal característica está se tornando cada vez mais comum para alguns fabricantes. A maioria deles utilizam o padrão Qi, mas outros sistemas estão disponíveis, como Powermat, PMA ou A4WP.

Hoje, isso pode ser um problema, pois não temos um padrão universal estabelecido. Por outro lado, essa multiplicidade de padrões pode ser considerado algo normal, uma vez que a tecnologia de recarga de bateria sem fio ainda é algo muito recente, principalmente no mundo dos dispositivos móveis. Resta os fabricantes entrarem em um acordo sobre qual padrão usar.

O padrão Qi é o mais popular hoje, mas é possível que no futuro o PMA seja o mais adotado. O motivo? Várias empresas se uniram para que esse padrão se torne universal (exemplos: ZTE, HTC, Huawei, Duracell, Samsung e LG).

As tecnologias de recargas de bateria sem fio estão presentes nos seguintes dispositivos:

– Google Nexus 4 e Nexus 5
– Samsung Galaxy S4 (é necessário a troca da parte traseira do dispositivo)
– HTC Droid DNA
– Nokia Lumia 920 e Lumia 820 (e praticamente todos os modelos da linha Lumia com Windows Phone 8)
– Apple iPhone 5 (é necessário a compra de um case Powermat para adicionar o recurso)

Todos os modelos citados acima utilizam a tecnologia Qi, exceto o iPhone 5, que utiliza o padrão Powermat.

Indução Magnética vs Recarga Por Ressonância

Os carregadores com o padrão Qi atuais usam duas tecnologias distintas. A primeira é a indução magnética, que necessita que o dispositivo fique sempre em contato com o carregador. A segunda é a recarga por ressonância, que permite que o dispositivo se separe do carregador, mas necessita que o mesmo se mantenha próximo da base de recarga, para que a mesma siga recarregando.

A primeira tecnologia usa duas bobinas, uma de transmissão, e outra, de recepção. As duas geram um campo magnético que transfere a carga para que a mesma chegue até a bobina que recebe. Para que esse campo se mantenha ativo, as duas bobinas devem estar em contato.

A segunda tecnologia permite uma transmissão mais livre, permitindo que o telefone fique a uma distância entre 5 mm e 40 mm da base, o que ainda é muito pouco para as necessidades da maioria dos usuários. Mas é melhor que nada.

As vantagens da recarga sem fio

é uma opção muito “verde”, pois reduz a demanda de cabos de força. Por consequência, teremos gadgets com maior longevidade, eliminando a necessidade de contato físico com os conectores de recarga para essa finalidade, além da redução de trocas de baterias. De um modo geral, o mercado de smartphones e tablets poderá ser um pouco mais eficiente e sustentável para o planeta.
o fim dos cabos – se bem que essa vantagem é relativa. O dispositivo a ser recarregado não utilizará cabos, mas a base que vai recarregar esse dispositivo, sim. Além disso, ainda não podemos deixar o telefone muito longe da base de recarga.
a durabilidade das baterias será muito maior, pois não temos a necessidade de conectar e desconectar o dispositivo na sua fonte de energia, causando danos e desgastes diversos. Isso quer dizer que não temos que trocar as baterias (ou o dispositivo inteiro) com tanta frequência como fazemos agora, sendo assim algo mais econômico para o usuário e melhor para o planeta. Afinal, a produção do lixo eletrônico seria reduzida de forma drástica.

Recarga de bateria sem fio no futuro

Em outubro de 2013, a Samsung comprou uma startup na Nova Zelândia, chamada PowerbyProxi, que deve criar uma nova solução de recarga sem fio que só será utilizada no futuro. A ideia é que os dispositivos dos próximos anos possam ter a sua bateria recarregada a alguns centímetros de distância da base, ou até mesmo quando existe alguns obstáculos entre a base e o smartphone ou tablet.

Enquanto isso não acontece, vamos então aproveitar o fato de não precisarmos mais recorrer aos cabos de recarga quando chegamos em casa ou no escritório. Repousar o smartphone em uma base é algo muito mais simples, funcional e elegante. E não podemos abrir mão dessa conveniência.