Um grupo de pesquisadores da Universidade de Michigan pode tornar possível o desenvolvimento de computadores 100 mil vezes mais rápidos, com o controle de pulsos de luz laser em intervalos de femtosegundos (equivalente a milbilionésima parte de um segundo), movendo elétrons de forma rápida e eficiente.

Essa descoberta é um passo adiante no que conhecemos como “computação de onda de luz”, e está relacionado diretamente com o mundo da computação quântica, que tem muitos avanços pendentes e promessas a se cumprir.

Nos computadores atuais, os elétrons se movem por semicondutores e geram calor, o que deixa a computação pouco eficiente. Nesse método, temos cristais de gálio como semicondutores, que estabelecem pulsações curtas de laser entre elas.

Os pulsos podem mover os elétrons para diferentes níveis de energia de forma rápida e eficiente, o que acelera a leitura e gravação dos dados. Para gerenciar a velocidade, os cristais foram orientados, controlando o movimento dos elétrons.

O avanço tem grande potencial para facilitar a criação de computadores muito mais potentes, mas a pesquisa ainda está em um estágio inicial, com muito caminho a percorrer nos seu desenvolvimento.

 

Via Nature Photonics