Print

A compra do WhatsApp pelo Facebook por US$ 19 bilhões foi uma das maiores aquisições tecnológicas da história. Mas é apenas a última de uma série de operações que estão transformando o setor tecnológico em apenas alguns anos. Logo, nada melhor do que colocar em perspectiva essas negociações, com o gráfico acima.

A área de cada círculo está representada de forma proporcional ao valor desembolsado na compra, com uma legenda de cores que indica o comprador. Há alguns detalhes de cada uma dessas operações, como a compra do WhatsApp, que possui um valor maior em ações, enquanto que outras empresas receberam um maior componente efetivo.

A Google, por exemplo, manteve as patentes da Motorola e o Advanced Technology and Projects Group na venda da empresa de telefonia para a Lenovo. E a Boston Dynamics, uma das últimas compras da Google, não aparece no gráfico, pelo simples fato dos valores não se tornarem públicos.

O curioso do gráfico é que, em 2012, quando o Facebook comprou o Instagram por US$ 1 bilhão, o valor era considerado exorbitante. Dois anos depois, essa quantia parece troco de cafezinho, perto do valor pago pelo WhatsApp. Quem sabe, talvez, o pessoal do SnapChat não cometeu um erro ao recusar a oferta de US$ 3 bilhões do Facebook. Ou talvez (só talvez), devemos começar a nos preocupar com esses círculos cada vez maiores.