Fórmula 1

 

A Fórmula 1 está de volta! O campeonato 2017 começa no dia 26 de março (domingo), no GP da Austrália, e nesse ano, temos novas regras, que resultaram em novos carros.

Os objetivos aqui são bem claros: entregar ao fã do automobilismo corridas mais emocionantes, além de um maior equilíbrio na categoria. Como consequência, os carros de 2017 estão mais largos, mais compridos, mais pesados, com pneus maiores, mais difíceis de serem conduzidos e mais rápidos.

Os testes coletivos realizados em Barcelona não mostraram todas as armas preparadas pelas equipes, mas as mudanças já podem ser vistas. Apesar de recusarem a bolha de segurança testada pela FIA, os times mostraram formas muito curiosas de carros para controlar a aerodinâmica.

Alguns formatos são de gosto bem duvidoso, convenhamos…

 

 

Motores congelados para algumas equipes

 

As novas regras estabelecidas em 2016 visam também reduzir custos para os clientes, a obrigatoriedade de prover motores para todas as equipes e o fim dos tokens.

Os motores estão com potência congelada no V6 Turbo, mas os fabricantes podem trabalhar nas unidades de potência ao longo de 2017, de forma irrestrita (visando reduzir o preço por unidades de potência em US$ 1 milhão em 2017 e em US$ 3 milhões em 2018).

O novo regulamento tem um item dedicado às mudanças nas unidades de potência por equipe, além de suas dimensões e peso. O objetivo é obter carros mais rápidos e mais difíceis de se conduzir, reduzindo assim o tempo por volta entre 3 e 5 segundos.

O novo pacote técnico inclui pneus 25% mais largos, com diâmetro maior para aumentar o agarre e ganho aerodinâmico, uma asa dianteira mais larga, com um ângulo obrigatório, uma asa traseira com altura menor e largura maior e, além de tudo isso, um carro pelo menos 20 quilos mais pesado.

 

 

 

 

Para ler em detalhes todas as mudanças nos carros para a temporada 2017 da Fórmula 1, acesse o site da FIA.