tesla

 

Apesar das críticas recentes, o piloto automático da Tesla mostrou que vai além de ser uma simples promessa. Aos poucos está melhorando para ser um piloto automático pleno.

O Autopilot recebeu uma última atualização (versão 8.0), que melhorou e muito a capacidade de detecção dos perigos do sistema, que em conjunção com o radar do carro, pode inclusive prever acidentes.

Os sistemas da Tesla detectaram que o carro à sua frente está freando com força, e identificou isso como um perigo grave, enviando um sinal sonoro ao motorista dois segundos antes do acidente. Com isso, o carro foi freado com força.

O Tesla circulava pela autoestrada A2 na Holanda. De repente, o sistema de aviso de colisão frontal (Forward Collision Warning) do carro foi ativado. Nesse momento, o veículo estava a 110 quilômetros por hora. Poucos segundos depois, o acidente aconteceu.

 

 

Pode parecer pouco tempo à princípio, especialmente porque o Tesla estava a uma boa distância de segurança e baixa velocidade. Mas nem por isso deixa de ser algo impressionante.

Não apenas o sistema foi capaz de atuar diante de um imprevisto, se antecipando ao motorista para executar as ações necessárias para não se envolver com o acidente, mas também pode prever o que vai acontecer alguns segundos antes do próprio incidente.

A empresa de Elon Musk segue um bom caminho. O Autopilot é cada vez mais preciso, e aos poucos deve alcançar os seus objetivos.

Vale a pena observar que nenhum dos envolvidos no acidente sofreram ferimentos graves, felizmente.

 


Via MashableTwitter (Hans Noordsij)