windows-10-teaser

Recentemente, comentamos aqui no blog sobre o download automático do instalador do Windows 10 em equipamentos com Windows 7 e Windows 8.1 via Windows Update, preparando o equipamento para facilitar uma atualização posterior.

O processo, de transparente, não tem nada, pois é feito sem o consentimento ou autorização expressa do usuário (ainda que com a mera configuração do Windows Update em modo automático cubra os aspectos ‘legais’ da questão), e as críticas vieram, como esperado. A atualização ocupa recursos de rede e espaço de armazenamento com o download das pastas ocultas como ‘$Windows.~BT’ y  ‘$Windows.~WS’ que contam com tamanhos entre 3.5 GB e 6 GB.

O método de ‘atualização silenciosa’ foi utilizado para preparar os equipamentos dos usuários que decidiram reservar o Windows 10 antes do lançamento. Isso foi interessante para facilitar a atualização em massa de milhões de usuários, e era um processo transparente por ser definido pelo usuário.

Agora é diferente. O Windows 10 não devia ser baixado automaticamente por usuários que não reservaram o sistema, mesmo que seja ‘uma forma de ajudar, para que os dispositivos atualizáveis ficassem aptos a migrar’.

A boa notícia é que o processo é reversível. Para quem optou por manter o Windows 7 e Windows 8.1 nos seus dispositivos, e não deseja ter pastas ocupando espaço desnecessário e/ou processos desconhecidos ou não autorizados, siga os passos desse post. Os métodos valem para as duas versões do Windows em questão.

Para saber se a pasta mencionada está ou não no computador, abra o Explorador de Arquivos e veja a opção “Organizar – Opções de pasta e busca”. Em “opções de pasta – visualizar”, selecione “mostrar arquivos, pastas e unidades ocultas”.

Uma vez ativado, você verá no diretório raiz (partição C:) uma ou várias pastas antes ocultas, como as já mencionadas  ‘$Windows.~BT’ y  ‘$Windows.~WS’. Você pode simplesmente apagar essas pastas, mas o processo de atualização vai continuar, e o processo de download vai se repetir.

Windows10actualizacion_1

Vamos aos métodos.

 

Método #1

Para impedir um novo download automático do Windows 10, vamos modificar o registro do sistema:

– Instale as atualizações KB3065987 (em equipamentos com Windows 7) ou KB3065988 (em equipamentos com Windows 8.1).
– Reinicie o computador e acesso o registro do sistema, através do comando ‘Regedit’.
– Navegue até a rotina HKEY_LOCAL_MACHINE\SOFTWARE\Policies\Microsoft\Windows
– Crie uma nova entrada, clicando com o botão direito e selecionando ‘nova chave’. Dê o nome ‘WindowsUpdate’.
– Abra a nova entrada, crie uma DWORD de 32 bits chamada ‘DisableOSUpgrade’ com o valor ‘1’.
– Reinicie o computador. A partir daí, você não mais vai receber os arquivos do Windows 10.
– Se posteriormente você quiser atualizar o equipamento para o Windows 10, basta apagar a chave criada, ou atribuir o valor ‘0’ à mesma.

 

Método #2

A outra forma é desinstalando as atualizações que ativam o processo:

– Vá ao Painel de Controle. Em Programas e Características, acesse Ver Atualizações Instaladas.
– Desinstale as seguintes atualizações: KB3035583, KB2952664 e KB3021917 (no Windows 7), e KB3035583 e KB2976978 (no Windows 8.1);
– Uma vez desinstaladas, reinicie o computador e vá até o Painel de Controle. Em Windows Updade, vá em Buscar atualizações > Ver atualizações desinstaladas.
– Clique no botão direito do mouse e marque ‘Ocultar atualizações’.
– A partir daí, já não devem voltar a ser instaladas essas atualizações que fazem o download automático do Windows 10.
– Se posteriormente você quiser atualizar o seu dispositivo, é só seguir os passos contrários, desmarcando a ocultação e instalar os parches mencionados.