informática

 

Muita coisa mudou desde o lançamento do Apple II em 1977. O modelo marcou um ponto de inflexão na informática e tecnologia, sendo o primeiro de vários produtos que conquistaram o grande público.

40 anos depois, os números de vendas de diferentes plataformas de computação pessoal deixa tudo mais fácil. Colocando em perspectiva, o Commodore 64 vendeu como água no seu tempo, mas é quase nada diante da revolução móvel que testemunhamos hoje.

 

Android e iOS, imparáveis

 

 

A revisão foi feita pelo analista Horace Dediu, que em mensagem no Twitter publicou o gráfico que foi construído com a ajuda de diversas pessoas. Os dados mostram as unidades distribuídas para cada produto e plataforma, e fica claro como muitas delas tiveram o seu sucesso, para depois dar lugar para novas tendências.

O ciclo se cumpre para a maioria delas, mas não em todas. É curioso ver como o Commodore 64, o Amiga ou o Atari STI, ou até mesmo o Apple II tiveram o seu lugar na história, e como outras empresas mais modernas e que pareciam ter tudo sobre controle acabaram desaparecendo, como Nokia ou BlackBerry.

Porém, também fica claro que há plataformas que não devem desaparecer tão cedo. O crescimento do Android e do iPhone é evidente, enquanto que o PC começa a registrar sua curva descendente, que parece ser inevitável.

Também é interessante ver o papel menor (porém relevante) das plataformas com nicho de mercado: o Chromebook e a Raspberry Pi são dois bom exemplos de conquista de espaço demográfico antes jamais imaginado.

 

Via Twitter