O Windows 8 está aí, muita gente está instalando a nova versão do sistema operacional em seus computadores, e alguns estão se aventurando na compra de novos computadores com o novo software. Mas o que realmente importa a essa altura do campeonato é: você está gostando do Windows 8? Sua experiência de uso é satisfatória? Ou você está prestes a desistir de tudo, e usar o Linux, por exemplo?

As opiniões são mistas e bem divergentes. Em geral, o que eu tenho visto na minha timeline do Twitter ou no meu feed de notícias no Facebook são opiniões positivas sobre o novo sistema da Microsoft. Porém, as pessoas que eu acompanho nessas redes (em boa parte) possuem uma grande intimidade com o mundo da tecnologia. Logo, não será surpresa se eles se adaptarem rapidamente às nuances do novo sistema e, por consequência, as avaliações acabam sendo mais positivas.

E aí está o maior problema do Windows 8: a curva de aprendizado.

Já falei por diversas vezes aqui no TargetHD: o Windows 8 representa a mais drástica modificação na interface do usuário do sistema operacional da Microsoft desde o lançamento do Windows 95. A mudança foi tão grande, que algumas pessoas ainda estão quebrando a cabeça em ações simples, como fechar programas e desligar o sistema operacional. Além disso, para algumas outras ações, o sistema é menos intuitivo para os desktops, uma vez que a proposta da Microsoft é voltada para os equipamentos com telas sensíveis ao toque.

Penso da seguinte forma: na época do lançamento do Windows 95, algo semelhante aconteceu, mas com um impacto menor. Por tudo se concentrar no botão “Iniciar”, a vida do usuário realmente ficou muito mais fácil e simples. Talvez o grande problema enfrentado pelo Windows 95 na época foi a a ausência de drivers compatíveis com os equipamentos da época, algo que foi contornado pela Microsoft ao longo do tempo. Hoje, a coisa muda de figura quando uma porção de gestos com o mouse foram adicionados, torando a sua usabilidade um pouco mais complicada para quem sempre viveu com o mouse, e que precisava apenas clicar em um “X” para fechar os programas.

Por outro lado, outros aspectos do Windows 8 precisam ser avaliados pelo usuário. Se muitos vão precisar aprender novos comandos e gestos para as tarefas do sistema, agora, você tem as principais informações que você deseja estão na tela inicial do mesmo sistema, e alguns deles são atualizados automaticamente, sem precisar sequer abrir o aplicativo em questão. Sem falar que alguns recursos do sistema foram otimizados para uma melhor performance, o que é algo muito bem vindo para todos os tipos de usuários.

Outra notícia positiva para o Windows 8 é que o número de aplicativos disponíveis na Windows Store está crescendo. Nessa semana, a sua loja de apps dedicados ao sistema ultrapassou a marca de 13 mil itens especialmente pensados no novo sistema da Microsoft, e segundo informa o site WinAppUpdate, 500 novos aplicativos são aprovados diariamente na loja. Ou seja, com essa taxa expressiva de crescimento, em pouco tempo, muitas boas opções de programas estarão disponíveis ao usuário. É só uma questão de tempo e paciência.

Além disso, é sempre bom questionar como está a adaptação de dispositivos e dos programas já existentes para o novo Windows. Essa talvez é a maior preocupação dos usuários avançados, que dependem de alguns programas para trabalhar. Se eles não funcionam de forma perfeita no novo sistema, não há motivos para a atualização. E essa é uma regra quase que universal. Os usuários menos experientes, ou com interesses de entretenimento também pensam da mesma forma.

Enfim, agora é a sua vez. Se você já instalou o Windows 8 em seu computador, deixe na área de comentários a sua opinião sobre a nova versão do sistema operacional da Microsoft. Só não vale encher a cara e gravar um vídeo opinando sobre o Windows 8, como fez essa mulher do vídeo abaixo.