Aposto que você nunca se perguntou isso. E os computadores, como qualquer dispositivo, não podem atrasar as horas. Pense no colapso que seria se isso acontecesse.

Pois bem, a placa-mãe de um computador conta com minúsculos componentes e circuitos, onde a informação corre rapidamente. A CMOS (ou semicondutor de metal-óxido complementar) é a “pilha” de um computador, mantendo assim o relógio em tempo real do equipamento.

Esse CMOS também salva (em alguns casos) as definições da BIOS do computador, e é uma bateria muito eficiente nos quesitos energéticos.

Sua autonomia estimada é de três anos, e ela só é ativada quando o computador está desligado, fazendo assim que a data e a hora do equipamento permaneçam corretas depois que você volta a ligar o dispositivo.

 

 

Essa CMOS mantém o circuito ativo, e está presente na maioria dos dispositivos eletrônicos que precisam fornecer a data e hora de forma precisa. A maioria dos circuitos em temo real usa um cristal oscilante, mas em alguns casos temos também o mecanismo usado em relógios de Quartz, mais conveniente para os sistemas binários.

Com o passar do tempo, os computadores podem ficar com relógios imprecisos. Logo, temos o Network Time Protocol (NTP) para sincronizar os relógios de computadores em rede, mantendo todos em uma hora correta e com elevada precisão, contribuindo assim para o bom funcionamento de inúmeros aplicativos.

Ou seja, os relógios nos computadores são mais importantes do que parecem. Tem impacto em quase todos os aplicativos do nosso dia a dia.

Logo, se o relógio do seu computador estiver atrasado, já sabe: troque a pilha. E lembre-se: quanto mais tempo o computador ficar ligado, mais tempo essa pilha vai durar.