YouTube

 

Hoje, o YouTube é encarado por muitos como via de sucesso, um caminho para se tornar uma celebridade instantânea. E não falo mais de ser uma webcelebrity, mas sim de um famoso em mais de uma mídia.

É caminho obrigatório para milhões de internautas, e está moldando as novas gerações e a sociedade como um todo. Para quem duvidava que o YouTube podia competir com o domínio que a TV exercia, quebrou a cara.

Os tempos mudaram. As pessoas também. Muitos hoje nem sentem falta da TV. Basta ter uma boa conexão à internet para acessar o YouTube, a Netflix, o Facebook e alguns outros serviços online.

Pois bem, quem tem filhos pequenos em casa sabe que eles já navegam pelo YouTube. E alguns adultos já se surpreenderam em ver vídeos e canais de crianças que fazem unboxing de brinquedos, kinder ovo e outras coisas banais. Porém, são canais com milhões de visualizações e seguidores.

Nos canais que tem as crianças como estrelas, temos também alguns efeitos curiosos, como um comportamento de como se sua vida fosse exibida o tempo todo no YouTube, mesmo quando ela não está.

Não somos nós que vamos dizer se isso é certo ou errado. Mas é fato que não é de hoje que temos crianças que se sentem estrelas, com vários casos idênticos no cinema, TV e música.

A internet e o YouTube apenas são vias que fazem com que um maior número de pessoas produzam conteúdos e potencialmente partilhem o seu dia a dia, encontrando pessoas dispostas a ver tudo isso.

Por outro lado, é impossível não pensar o impacto que isso pode ter no aspecto de percepção de privacidade, onde o comportamento Big Brother passe a ser considerado algo aceitável.