elop-ballmer-nokia-microsoft

Agora, falta pouco. O momento da Nokia (ou pelo menos as suas divisões de mobilidade e tecnologia) se tornar oficialmente uma propriedade da Microsoft está cada vez mais próximo. Depois de receber a aprovação das autoridades norte-americanas, a Reuters acaba de publicar que a Comissão Europeia também aprovou de forma definitiva a manobra de compra.

Segundo indica a agência de notícias, as informações apresentadas pelas partes não mostram indícios que a compra vai afetar de forma drástica a concorrência, explicando que parecer ser muito pouco provável que essa decisão pode excluir os seus concorrentes do mercado. E não só no quesito vendas, mas também na distribuição de aparelhos com Windows Phone de outros fabricantes (algo que, convenhamos, possui hoje uma cota de mercado que já é ridícula).

O negócio, que custou US$ 7.350 bilhões (é sempre bom lembrar), contempla a aquisição dos dispositivos e dos serviços dos finlandeses (incluindo a sua já muito conhecida plataforma de mapas), assim como o seu catálogo de patentes relacionadas. Além disso, faz com que a Microsoft tenha tudo o que precisa para finalmente lançar a sua própria linha de smartphones com Windows Phone.

Deixando de lado as formalidades legais, ainda resta responder uma das mais valiosas questões do mundo da tecnologia nos últimos meses: se Stephen Elop, ex-CEO da Nokia, vai assumir as rédeas da Microsoft após a saída de Steve Ballmer, ou se teremos alguma surpresa de última hora.

E digo mais: essa última questão não vai demorar muito para ser respondida. Há quem diga que não é o Elop, e que vamos nos surpreender com a revelação do nome.

Via Reuters