Seis grupos (compostos por oito empresas) de telecomunicações entraram oficialmente na disputa pelas frequências de utilização das redes 4G no Brasil. São eles: Claro (Americel e Claro), TIM (Intelig e TIM), Sunrise, Oi, Sky e Vivo. Os documentos de identificação e regularidade fiscal com as propostas e preços dos interessados foram entregues ontem (05/06) em Brasília.

A data prevista para a abertura dos envelopes com as propostas é para o dia 12 de junho. A licitação tem como objetivo atender a crescente demanda pelos serviços de telecomunicações, além de oferecer a infraestrutura necessária para que os grandes eventos internacionais (Copa do Mundo e Jogos Olímpicos) aconteçam no país.

A licitação envolve as faixas de 450 MHz, permitindo que as áreas rurais recebam o serviço de voz e dados (internet banda larga). Já na faixa de 2.5 GHz, será introduzida no Brasil a telefonia móvel de quarta geração (ou o 4G), que promete uma altíssima velocidade de dados. Segundo o cronograma do edital, todos os municípios brasileiros com mais de 100 mil habitantes devem receber o 4G até o dia 31 de dezembro de 2016. As cidades-sede da Copa das Confederações receberão a nova rede até o dia 30 de abril de 2013, e as sedes e subsedes da Copa do Mundo terão o serviço implantado até o dia 31 de dezembro de 2014.

O critério para escolha das prestadores candidatas à faixa de 450 MHz será o menor preço para o consumidor. Se as propostas forem insatisfatórias ou inexistentes, a faixa de 450 MHz será ofertada com os lotes da faixa de 2.5 GHz. Nesse segundo caso, os vencedores serão aqueles que apresentarem os maiores valores pelo direito de exploração das frequências.

De acordo com o superintendente de serviços privados da Anatel, Bruno Ramos, a licitação prevê um valor de R$ 0,31 para o minuto pré-pago de chamadas nas novas frequências, e de R$ 30,60 (com franquia mensal de 100 minutos) no modo pós-pago. Já a franquia mensal de dados tem valor previsto de R$ 32,59, para uma velocidade de 256 kbps.

Via AdNews