smartphones de 2011

2011 foi o ano onde o conceito de smartphone ainda estava amadurecendo, mas começava a oferecer propostas mais sólidas. Os fabricantes passaram a apostar mais a sério no novo terreno, oferecendo dispositivos que marcaram o caminho a seguir nos anos posteriores.

A chegada do iPhone 4 e do Samsung Galaxy S em 2010 definiu as duas facções que se enfrentariam nessa batalha. A Apple seguiu o seu caminho, enquanto que o Android ficava mais forte. Porém, a Microsoft quis brincar nesse terreno com o Windows Phone Mango e vários smartphones.

Os cinco da lista são apenas alguns que fizeram muito barulho em 2011.

 

HTC Sensation

HTC Sensation

A HTC foi uma referência com o Android. Foram os primeiros a apostar na plataforma e foram bem sucedidos nos anos seguintes. O HTC Sensation foi o seu modelo de maior destaque em 2011, e um dos Androids mais desejados.

Hoje, ele nem seria um modelo de entrada, mas na época, era muito completo e destinado a poucos. Contava com tela de 4.3 polegadas (qHD, 960 x 54o pixels), processador Snapdragon S3 dual-core, 1 GB de RAM e câmera de 8 MP que gravava vídeos em Full HD.

 

Sony Ericsson Xperia Arc S

Sony Ericsson Xperia Arc S

Cinco anos nem é muito, mas parece uma eternidade desde que a Sony e a Ericsson decidiram romper relações. O Sony Ericsson Xperia Arc S foi um dos últimos frutos dessa união, e um dos melhores designs de smartphones da sua época.

Seu perfil curvo e os detalhes do seu design chamavam a atenção, e suas especificações estavam a altura dos mais exigentes: tela de 4.2 polegadas (FWVGA), processador Snapdragon S2, 512 MB de RAM e câmera de 8 MP.

 

Samsung Galaxy Note

Samsung Galaxy Note

O Samsung Galaxy Note foi o escolhido de 2011 por motivos óbvios. Hoje, um smartphone com tela de 5.3 polegadas é algo mais que normal. Mas em 2011, era uma loucura.

O primeiro Note era enorme, mas o tempo deu razão para a Samsung, e as telas grandes se consolidaram como tendência dominante. Além disso, o Galaxy Note contava com um lápis touch, um diferencial que hoje o destaca de seus concorrentes. A fórmula deu tão certo, que em apenas duas semanas conheceremos o sexto integrante dessa família, o Samsung Galaxy Note 7.

 

iPhone 4s

iPhone 4s

Foi uma apresentação um tanto decepcionante, já que todos esperavam pelo iPhone 5, mas também foi amarga. O recém estreando CEO Tim Cook transparecia em seu rosto que algo estava muito errado na Apple. E ele sabia o que era: no dia seguinte desse lançamento, Steve Jobs faleceu em sua casa em Palo Alto.

O iPhone 4s consolidou a série S do iPhone, que mantém o design do modelo anterior, apostando nas melhorias de hardware e software. A principal função desse modelo foi o Siri, assistente virtual que melhorou muito ao longo do tempo.

 

Nokia Lumia 800

Nokia Lumia 800

A Nokia é um exemplo de como é possível ser líder e perder o trono por não se adaptar às mudanças. A empresa ostentou o primeiro posto do ranking de fabricantes durante anos, mas não soube se atualizar a tempo. O Nokia Lumia 800 foi uma tentativa de respeito de entrar na briga, mas chegou tarde demais.

Seu design em policarbonato talhado chamava a atenção, e seu perfil técnico era bem completo, com um Windows Phone estreando uma proposta muito disruptiva, oferecendo uma experiencia de uso inovadora e muito fluída. Nada disso foi suficiente, e a Nokia naufragou na tentativa.

 

Samsung Galaxy Ace

A Samsung lançou muitos smartphones em 2011, e vale a pela lembrar dois campeões de vendas. Com defeitos e virtudes, o Samsung Galaxy Ace foi uma referência de linha média na época, e o Samsung Galaxy Mini fez o mesmo no segmento de entrada.

Também vale lembrar o finíssimo Motorola Razr, com 7,1 mm na parte mais fina, ou o BlackBerry Bold 9900. O 3D também teve o seu espaço, com o LG Optimus 3D ou o HTC Evo 3D, mas o tempo enterrou essa tecnologia nos smartphones.