bateriasmartphones

Uma das queixas mais comuns dos usuários de smartphones está relacionada com a bateria dos seus dispositivos, mais precisamente a autonomia de bateria disponível. O avanço de outros componentes tecnológicos é tão rápido, que a tecnologia das baterias acaba limitando o potencial dos smartphones.

Além das queixas, temos a desinformação. Mitos e afirmações que não são totalmente verdadeiras são proferidas por muita gente. A seguir, vamos dissecar as cinco mais frequentes, e tentar chegar a um denominador comum.

É melhor deixar que a bateria se descarregue completamente?

Falso, pelo menos na geração atual de smartphones. Esse mito é herdado de um tipo de bateria, a de Níquel, que eram utilizadas nas primeiras gerações de celulares. O problema é conhecido como “efeito memória”, pois a bateria ao ser recarregada quando não foi utilizada completamente se esquece da sua capacidade total.

Os smartphones atuais, e praticamente todos os produtos eletrônicos disponíveis no mercado atual, utilizam baterias de Lítio, onde o “efeito memória” não acontece. Pelo contrário: o ideal é que você evite que a bateria de lítio se descarregue, pois é isso o que afeta o seu desempenho. O ideal é que você coloque o seu smartphone para recarregar quando a bateria estiver com aproximadamente 50% de carga.

É ruim deixar o smartphone conectado na rede elétrica quando ele já está 100% carregado?

Se a sua preocupação é sobrecarregar a bateria do smartphone e danificá-la, não se preocupe: isso é (praticamente) impossível que aconteça. As baterias de Lítio integram um circuito interno, que evita que ela continue carregando quando alcançados os 100% de sua capacidade.

Porém, existem motivos pelos quais você deve desconectar o smartphone quando a sua recarga está concluída. Um deles é o problema do superaquecimento que ainda afeta as baterias. A temperatura é uma das questões mais ignoradas pelos usuários, mas testes diversos já demonstraram que esse é um dos principais fatores que afetam a vida útil de uma bateria.

Por essa razão, é um útil conselho retirar cases ou elementos protetores do smartphone na hora da recarga. A desconexão significa (também) economia de energia elétrica.

Devo carregar a bateria com o smartphone desligado?

Desligar o smartphone é algo meio chato, eu sei disso. Mas isso pode ser algo positivo para a bateria do mesmo.

Ao recarregar a bateria com o dispositivo desligado pode permitir que sua recarga alcance o máximo de voltagem, sem obstáculos. Com o smartphone ligado, o componente que indica a carga de bateria pode se confundir, e os 100% prometidos acabam não sendo uma recarga completa.

Se alguma vez você desconectou o smartphone com 100% de bateria, mas tem a clara sensação que a bateria está durando menos, é possível que esse tenha sido o problema. Cada fabricante usa maneiras diferentes de controlar isso, mas esse não é um problema das baterias de Lítio, mas sim de um dos componentes selecionados para monitorá-las.

Onde eu guardo uma bateria?

Por algum motivo diverso, é possível que você tenha outra bateria útil e comprada, ou talvez conclua que não vai utilizar o smartphone por um longo período de tempo. As condições ideais para guardar uma bateria de lítio são com 40% ou 50% de carga, e em um local fresco. Não tão fresco quanto a sua geladeira, mas que seja escuro para evitar o superaquecimento proveniente da luz solar.

Por que não existem baterias com autonomia de uma semana de uso?

A realidade é uma só: a inovação no campo das baterias foi muito limitada nos últimos anos. Por estar diretamente relacionado com recursos naturais, limitados e, é claro, muito caros. A indústria é dominada por um grupo de gigantes da tecnologia, e é complicado para que algumas delas invistam tanto dinheiro no desenvolvimento nesse segmento.

Ou seja, é uma tecnologia que não pode avançar na mesma velocidade que as outras. Enquanto que os demais componentes de tecnologia avançam mais e mais rápido, esses mesmos componentes exigem mais e bais bateria dos dispositivos, o que faz parecer que as baterias dos smartphones estão cada vez menos eficientes.