censura-china

A China está bem longe de ser um exemplo quando falamos de respeitar os direitos humanos e a liberdade de expressão, mas isso não impede que o seu braço executivo pedir ao mundo que respeite a sua censura, colocando o dedo na cara da Internet como um todo.

A petição de respeito à censura é imposta por um governo que tem notas totalitárias claras. Algo deplorável e nada surpreendente, principalmente levando em conta o longo histórico de censura na China, não apenas na Internet, mas em um nível amplo e irrestrito.

Um exemplo claro: tudo o o que está relacionado ao massacre ocorrido na Praça da Paz Celestial. Esse evento eles preferem enterrar do que assumir o erro e mostrar um pouco de respeito pelas vítimas. Mais recentemente, o grande firewall chinês, que limita o acesso a determinadas partes da internet por seus cidadãos, entre outros casos.

A China mantém a opinião que não há uma liberdade de expressão absoluta, e que a mesma deve ser administrada de uma ordem mínima, que pode limitada sempre que necessário, mas em um Estado de direito, com garantias constitucionais, as coisas não funcionam assim.

É claro que a China é um estado soberano e independente, e por isso pode exercer suas políticas sob a proteção do princípio de não intervenção que estabelece o Direito Internacional Público. Mas tais petições beiram ao ridículo.

P.S.: China, nós “respeitamos” a sua censura, mas não concordamos com ela. 

Via Engadget