china-apple

O governo chinês desmentiu oficialmente as informações divulgadas pela Bloomberg, sobre a proibição de suas agências em comprar produtos da Apple, por questões de segurança. O governo alega que a Apple jamais solicitou ser incluída na sua lista de provedores oficiais.

Tanto o órgão central chinês encarregado de gerenciar os provedores de equipamento de suas agências governamentais como o Ministro das Finanças chinês confirmam a informação. A lista em questão fazia referências aos produtos destacados pela sua economia de energia, e esta é apenas uma das dezenas de listas que as agências governamentais da China utilizam. No caso, 10 produtos da Apple desapareceram dessa lista, indo do MacBook Pro ao iPad.

A Apple também confirmou que nunca esteve nessa lista.

O Ministério das Finanças da China garante que “ainda que a Apple possua a certificação de economia de energia, eles nunca facilitaram as informações necessárias para se verificar se eles estão de acordo com as regulamentações chinesas”.

Ou seja, tudo foi uma confusão da informação inicial da Bloomberg. Ou algum erro de tradução. Sem teorias conspiratórias. Pelo menos nesse caso.

Via Reuters