escolas-na-china

A China passa pela maior mudança de mentalidade de sua história. Quer que o mundo deixe de enxergá-la como o país de manufatura barata, e quer ser o país da inovação científica, a tecnologia e a visão do futuro, e por isso aposta em projetos de pesquisa e desenvolvimento espacial, além de uma mudança nos projetos educacionais, oferecendo o mundo da programação para as crianças.

O mesmo acontece em 12 países ao redor do mundo, com destaque para Estados Unidos e Reino Unido, que modificaram seus projetos educacionais para incorporar assinaturas em informática, uma tendência crescente que reforça que as linguagens de programação são o futuro.

Robótica e programação

 

pequeno-chines-priogramando

 

Em julho de 2016, o governo chinês aprovou o plano para transformar o país em potência de inovação para 2020. O plano oferece apoios para universidades, e impulsiona a criação de empresas de tecnologia e incubadoras de negócios, dando prioridade para pesquisa e criação de novas tecnologias.

Dentro desse plano, foi aprovado uma mudança nas grades escolares, onde crianças a partir de 6 anos de idade recebem um curso de informática, com conhecimentos básicos de programação. Com o passar do tempo, diversas linguagens de programação são incorporadas.

Enquanto isso, as crianças de 11 anos, além da programação recebem a robótica, onde podem testar grande parte dos seus conhecimentos.

Além das mudanças nas escolas, muitos pais mudaram as aulas de esportes ou atividades diurnas por formação em programação, cujas aulas receberam aumento de demanda no último ano.

Isso sugere que o governo chinês realmente se deu conta que sua participação em inovação tecnológica é muito atrás dos seus competidores, além de ajudar a limpar sua imagem de local onde se fabricam cópias baratas.

Via NBC