Se prepare para ficar surpreso. A Metrico Wireless fez alguns testes nas chamadas de voz através das redes 4G LTE (também conhecidas como VoLTE), e eles descobriram em seus estudos que esse tipo de chamada pode drenar muito mais rápido a autonomia de bateria do seu smartphone do que em outras modalidades de redes. Por causa disso, você já pode ter uma ideia por que não temos tantas pessoas entusiasmadas com as redes LTE lá fora (e aqui também).

A média de consumo de energia para cada 10 minutos de chamadas telefônicas para redes CMDA é de aproximadamente 680 miliwatts. Por outro lado, a média de consumo de bateria para chamadas via VoLTE pelo mesmo período é de 1.358 mW. É praticamente o dobro do consumo de bateria. Resumindo: os fabricantes tem nas mãos um grande desafio, que é desenvolver dispositivos com LTE que ofereçam uma boa autonomia de uso, principalmente diante dessa grande demanda de bateria.

A desvantagem na autonomia de bateria nas chamadas via VoLTE é causada por diferentes fatores. Um desses fatores é que o dispositivo precisa fazer uma verdadeira “ginástica tecnológica” para fazer as chamadas via LTE, pois isso exige um processo de conversão da voz em pacotes de dados, transmissão e recepção desses dados na rede, e uma nova conversão de dados para voz. E todo esse processo consome mesmo uma maior quantidade de energia do dispositivos.

Apenas uma única operadora nos Estados Unidos possui o recurso via VoLTE de forma funcional. Outras operadoras do país ainda tentam migrar de suas redes CDMA e GSM para as redes LTE. No Brasil, não imagino que vamos ver essa tecnologia, pelo menos em curto prazo. Aqui, não vemos algo semelhante com as redes 3G (pelas limitações dessa rede em nosso país), e sendo muito otimista, devemos agradecer se o Skype vai funcionar direito em nossos smartphones algum dia.

Via GigaOM, IntoMobile