torre internet 4G LTE

Com o 5G batendo na nossa porta, todo mundo já ouviu falar sobre as redes 4G ou LTE pelo menos uma vez. A quarta geração de redes de telefonia móvel permite a conexão de internet a partir dos nossos smartphones com uma maor velocidade, chegando a substituir as conexões físicas em alguns casos.

Quando um novo smartphone é apresentado, em algum momento o 4G é destacado. Nem todos os dispositivos contam com o mesmo 4G, pois a velocidade máxima que se pode obter depende da categoria do modem que incorpora o dispositivo em questão. Por isso, nesse post, vamos tentar explicar o que são as categorias 4G ou LTE, e quais são as velocidades máximas que cada uma delas pode oferecer.

O 3GPP é o grupo de trabalho que reuniu diferentes organizações especializadas em definir padrões para as especificações do 3G, e que também trabalhou para definir os padrões do 4G ou o seu nome técnico LTE (Long-Term Evolution). A primeira empresa a oferecer o LTE como padrão internacional foi a japonesa NTT-DoCoMo em 2004, e nos anos seguintes aconteceram as primeiras demonstrações, até que a primeira rede internacional foi comercializada na Suécia, em 2009.

Mas para a chegada do 4G LTE, a 3GPP publicou em 2008 a versão 8 de seus padrões, onde pela primeira vez incluía a quarta geração de telefonia móvel, estabelecendo as categorias de 1 a 5 para equipamentos de usuários. Depois disso, o 3GPP foi lançando novas versões para definir um total de 13 categorias LTE, e outras serão lançadas nos próximos anos.

 

As categorias 4G LTE (nesse momento)

lte-cat

 

Temos alguns casos curiosos na tabela acima. Por exemplo, a categoria 0 tem uma velocidade menor que inclusive o 3G, mas o motivo é que esta é uma categoria criada recentemente para conectar dispositivos da Internet das Coisas, que não conta com elevada exigência de velocidade, precisando ser muito eficientes no consumo energético.

A categoria 1 é inclusive mais lenta que o HSPA+, e é muito difícil de ser encontrada nos dias de hoje em qualquer smartphone ou tablet, que recebem nesse momento no mínimo a categoria 4. Os últimos lançamentos contam com modems integrados nos processadores de categoria 6, se bem que o Galaxy Note 7 (entre outros) já contam com categoria 9, já no padrão 4G+, ou LTE-Advanced.

Nesse momento, de pouco vale ter um modem LTE Cat.9 se as operadoras de telefonia móvel não tiram proveito dela. No Brasil, isso ainda é algo um tanto quanto distante.