A Campus Party Brasil vai buscar novas praias. Literalmente. Através de uma entrevista concedida por Mario Teza, diretor-geral da Futura Networks (que agora é uma empresa da Telefonica/Vivo) para a Folha de São Paulo, foi informado que o principal evento de tecnologia do país vai para o Rio de Janeiro, contando com o apoio da prefeitura da Cidade Maravilhosa, o governo estadual e alguns empresários. Incluindo Eike “Tony Stark” Batista (calma, gente… é só uma piada para deixar o começo desse post mais leve).

O evento não tem data para acontecer, mas começa a ser definido em março, com reuniões entre os responsáveis. Pelo visto, a Campus Party Brasil será itinerante nos próximos anos, podendo chegar às cidades de Porto Alegre e Fortaleza. Uma coisa que Teza deixa claro é que teremos apenas duas edições da Campus Party no Brasil, e como o evento de Recife já está confirmado para o mês de julho, as mudanças só devem acontecer mesmo em 2014. Também não está confirmado se o evento de São Paulo ou Recife será substituído pelo Rio de Janeiro, ou se teremos uma terceira edição da festa, algo que só vai acontecer “se o apoio vier”.

Por partes. Eu vejo a mudança do local da Campus Party Brasil como algo muito positivo. Ela precisa ir mesmo para outros locais, até mesmo para seguir a sua própria essência. Na Espanha, onde o evento nasceu, a Campus Party nunca foi realizado no mesmo lugar em todos os anos, e isso não é por conta da logística ou de locais que não mais suportavam receber o evento. Mas principalmente, para oferecer a oportunidade de entusiastas de tecnologia de qualquer lugar do país participarem do evento.

Penso que no Brasil precisa ser a mesma coisa. Tem muita gente boa e criativa trabalhando com tecnologia, ou que gosta da comunidade conectada, mas como o evento é cravado em São Paulo, a participação desse indivíduo acaba sendo inviável. Logo, um rodízio é bem vindo.

Outro motivo que converge para uma Campus Party Brasil itinerante é o próprio evento realizado em São Paulo na semana passada. A Campus Party em São Paulo se tornou um evento “cansado”, sem nenhuma novidade realmente interessante ou relevante, e com um público consideravelmente menor (aos olhos de todos que participaram do evento no ano anterior). Uma mudança de cidade pode dar um gás novo para o evento, pois muitas pessoas que nunca participaram terão a oportunidade, e trazem consigo um novo “gás”. E não estou aqui dizendo que o evento nunca mais deva acontecer em São Paulo. Depois de uma “volta” pelo Brasil, ele volta para cá.

Por fim, Eike Batista… ele levantou polêmica por cancelar a sua participação na Campus Party Brasil desse ano (participação essa que já seria polêmica aos olhos de muitos), mas como suas principais atividades de negócios estão voltadas para o Rio de Janeiro, ele está naturalmente mexendo os seus pauzinhos para que o evento aconteça por lá. E quer saber? Ele está certo. Devemos lembrar que estamos falando de negócios (também), e que alguma (ou muito) ele visa lucrar. Bom, fato é que… Eike Batista… se você estiver lendo esse post nesse momento… vamos conversar! Uma parceria seria muito bem vinda!