Novas informações sobre a sexta edição da Campus Party Brasil, que acontece entre os dias 28 de janeiro e 2 de fevereiro de 2013, no Anhembi Parque, em São Paulo (SP). Segundo matéria publicada no Tecnoblog, o início das vendas dos ingressos para o evento acontece ainda nesta semana, e algumas explicações foram dadas sobre o aumento médio de 66% nos valores dos ingressos.

Antes, vale lembrar que as vendas dos ingressos da Campus Party Brasil 2013 não aconteceram conforme o cronograma previsto pela organização do evento devido aos ataques DDoS contra o site do evento. Nesse meio tempo, a organização da Campus Party Brasil mudou os seus servidores e a estrutura de seu site, para se preparar para o início das vendas dos ingressos. Na edição 2013, a Campus Party Brasil vai contar com 8.500 participantes, 500 a mais que na edição desse ano, registrando mais um recorde para o evento.

Sobre os reajustes nos valores cobrados para os campuseiros: segundo Mario Teza, diretor-geral do evento no Brasil, o reajuste basicamente acontece por causa de “reajustes de preços quase inexplicáveis, em alguns casos, na ordem de 300%”, que se aplicam ao setor de eventos, que possui um índice de “inflação diferenciada”, que não é a mesma daquela aplicada pelos índices ao consumidor final. Desse modo (e segundo palavras de Mario Teza), foi impossível não repassar o reajuste de preços para os campuseiros.

Além disso, o diretor do evento explica que serviços relacionados aos palestrantes e convidados do evento, como passagens aéreas e hospedagem também sofreram reajustes de preços, assim como os custos de produção do evento em geral. Vale lembrar que, para a organização da Campus Party Brasil, os preços dos ingressos são responsáveis pelo financiamento de aproximadamente 10% do custo total necessário para a realização do evento, e que nesse ano, existe a “Bolsa Campus Party”, programa que permite que campuseiros de baixa renda possam participar do evento com descontos de 50% e 100%, e isso invariavelmente ajuda a “engordar” a conta dos campuseiros regulares.

Particularmente, eu só espero que, com o aumento quase seis vezes acima da inflação atual para o consumidor final (que é o papel do campuseiro nessa conta toda) ajude a oferecer para o participante um evento um pouco melhor daquilo que vem sendo feito nos últimos anos, principalmente nos itens mais básicos para que o campuseiro possa se focar mais e mais nas atividades e nos novos amigos que vão fazer. E não em bebedouros com água suja, longas filas, catering caro…

Via