blu

Crises de reputação não são simples de se resolver, e quando sua crise envolve uma gigante com as dimensões da Amazon, a resposta deve ser bem rápida.

Foi o caso da Blu. A fabricante norte-americana de smartpones teve que se explicar sobre o malware detectado em seus software, que levou a Amazon a remover os seus dispositivos do seu catálogo de vendas.

Os smartphones da Blu ficaram sob suspeita durante meses, o que fez com que a resposta fosse ainda mais rápida. Antes, o software que entregava as atualizações para os smartphones da marca era o Adups, que se conectava a servidores chineses que entregavam os updates via OTA.

Isso provocava reticências na hora de saber qual informação era enviada para estes servidores.

A primeira crise foi resolvida com a promessa da Blu de retirar o Adups, utilizando outro software em parceria com a Google. Meses depois, a polêmica volta.

Diante da retirada dos produtos Blu da Amazon, a empresa emitiu um comunicado oficial, com cópia para o pessoal da empresa de Jeff Bezos, garantindo que os dados enviados para a China visam facilitar essa atualização, mas que em nenhum caso faz uso de dados pessoais dos usuários. Apenas configurações e status do próprio software para solicitar a atualização.

Parece que as explicações da Blu convenceram a Amazon, que voltou a comercializar os smartphones da marca em seu site. Porém, tudo isso deve servir como advertência para a empresa, pois multinacionais do varejo podem derrubar a marca em poucas horas com essas decisões.

Vamos acreditar que tudo o que aconteceu foi um grande sinal amarelo.

 

Via GSMArena