galaxy-note-7-teaser-02 galaxy note 7

De acordo com a Bloomberg (que falou com fontes próximas ao tema), foi a pressa da Samsung que provocou todos os problemas do Galaxy Note 7.

O veículo informa que a fabricante sul-coreana teria pressionado os provedores, reduzindo os prazos de entrega, mesmo em um dispositivo que contava com novidades importantes, que exigiam um cuidado maior no desenvolvimento.

A pressa da Samsung em se antecipar ao iPhone 7 podem ter provocado os defeitos na cadeia de produção e na avaliação da qualidade das baterias.

 

Uma nova teoria: um design inadequado para estas baterias

Incluir uma bateria muito maior (3.500 mAh, contra 3.000 mAh do modelo do ano passado), apesar de ser fisicamente pequena, provocou os problemas de superaquecimento e explosões que resultaram em uma das maiores crises que a Samsung passou.

O problema parece estar solucionado nas novas unidades, mas o programa de substituição de 2.5 milhões de unidades custarão muito dinheiro para a Samsung, além de danos na imagem da marca.

A Bloomberg aponta um dado curioso: a divisão móvel da Samsung culpou a sua subsidiária, a Samsund SDI, como responsável pelos problemas do Galaxy Note 7, mas os diretores dessa empresa culpam o departamento de design da Samsung Mobile. Para o presidente do órgão norte-americano de consumo, a bateria era ligeiramente maior do que o que o design do produto permitia.

Então… de quem é a culpa, afinal de contas?

Via Bloomberg