A BlackBerry está lançando nesse momento o seu primeiro smartphone com o sistema operacional BlackBerry 10 no Brasil. O BlackBerry Z10 chega ao mercado brasileiro dentro das previsões que cravavam o seu lançamento para o mês de maio, e está disponível no varejo nacional nas cores preto e branco.

O modelo é a primeira grande aposta da BlackBerry em recuperar o seu espaço no mercado de smartphones, se aproximando dos usuários mais casuais, mas sem deixar de lado o usuário corporativo. A empresa canadense mantém nessa proposta a sua marca registrada: a segurança dos dados relativos à vida profissional do usuário, prometendo separar completamente dados, rotinas e comportamento dos dois perfis de uso.

O BlackBerry Z10 conta com o já citado sistema BlackBerry 10 OS, que segundo a empresa foi desenvolvido “do zero”, e está totalmente otimizado para telas touchscreen (o BlackBerry Z10 possui uma tela de 4.2 polegadas capacitiva – 1280 x 768, 16 milhões de cores). A BlackBerry pretende com esse lançamento oferecer ao usuário um dispositivo que ele possa utilizar na maior parte do tempo com apenas uma das mãos, utilizando gestos com o polegar.

O lançamento chega ao Brasil compatível com as redes 4G brasileiras, além de oferecer as conectividades 3G, NFC e DLNA. O modelo possui um processador Qualcomm Snapdragon dual-core, de 1.5 GHz, 16 GB de armazenamento (expansíveis via slot para cartões microSD de até 32 GB), Wi-Fi, Bluetooth 4.0 e portas microUSB e microHDMI. Sua câmera traseira de 8 MP é capaz de gravar vídeos em Full HD, e sua bateria é de 1.800 mAh.

Agora, vamos ao que interessa: o preço. O BlackBerry Z10 chega ao Brasil com preço inicial sugerido de R$ 2.449 (pré-pago). Vale lembrar que no seu evento de apresentação do produto em São Paulo, a própria BlackBerry afirmou que o Z10 era um produto “premium”, ou seja, ele não chegaria barato ao Brasil (ainda mais sendo importado).

Historicamente, os modelos da BlackBerry sempre foram mais caros, mas na época, o cenário era outro. Hoje, a empresa precisa competir com gigantes como Apple, Samsung, Sony, LG e Motorola. Não creio que com esse valor eles vão obter êxito em reconquistar os usuários brasileiros.

Caso a BlackBerry mande novas informações, esse post será atualizado.