BlackBerry KEYone

 

A TCL (que é quem detém os direitos de uso da marca BlackBerry) anunciou oficialmente o BlackBerry KEYone (antes, BlackBerry Mercury), primeiro dispositivo da nova fase da marca, em uma tentativa de recuperar o prestígio do passado.

As suas especificações são as mesmas reveladas no protótipo do dispositivo apresentado na CES 2017, ou seja: processador Snadragon 625 octa-core trabalhando com Adreno 606 e 3 GB de RAM, com 32 GB de armazenamento (expansíveis) e bateria de 3.505 mAh (a maior bateria disponível em um smartphone BlackBerry da história).

O BlackBerry KEYone já conta com o sistema operacional Android 7.1 Nougat, que é considerado “o Android mais seguro do mundo”, com apps dedicados, em um smartpone com tela de 4.5 polegaas (1620 x 1080 pixels, 3:2).

 

 

O modelo é claramente voltado para os eternos fãs da BlackBerry, trazendo o teclado físico que tanto sucesso fez no passado, combinado com uma tela sensível ao toque. É possível inserir acesso direto a alguns aplicativos, além de todas as ferramentas de navegação que tentam ser intuitivas. Sem falar que o teclado físico é sensível ao toque.

O KEYone conta com um sensor traseiro de 12 MP (Sony), similar ao presente nos modelos Pixel e Pixel XL da Google. O sensor de câmera frontal possui 8 MP.

A própria TCL/BlackBerry reconhece que este é um smartphone de nicho, mas o considera uma parte essencial da recuperação da marca.

O BlackBerry KEYone deve chegar a vários mercados em abril, com preço sugerido de US$ 549.