Antes mesmo da Black Friday 2012 acabar no Brasil, o Procon de São Paulo já começou a tomar providências sobre as supostas irregularidades cometidas pelas empresas de e-commerce nacionais. Um grande grupo de empresas que participaram da ação de descontos foram notificadas por maquiarem os preços dos produtos, para que os descontos posicionassem os preços para os valores reais dos itens anunciados como promocionais.

A prática foi a mesma adotada no ano passado, quando muitos internautas reclamaram que não conseguiram obter nenhum tipo de vantagem nos preços oferecidos pelas lojas virtuais, uma vez que, de forma repentina, os preços dos itens mais procurados pelos consumidores tinham sido aumentados, para que os descontos fossem aplicados e, dessa forma, os produtos voltassem aos seus valores originais. Falamos disso mais cedo aqui mesmo no TargetHD, e pelo visto, dessa vez, as reclamações dos internautas foram ouvidas.

As empresas que foram notificadas pelo Procon são:

– Extra (lojas física e virtual)
– Ponto Frio
– Submarino
– Americanas.com
– Walmart
– Saraiva
– Fast Shop

As notificações foram emitidas bom base em denúncias dos consumidores, que foram feitas pelos canais de atendimento do Procon e de outros órgãos independentes de fiscalização e defesa dos direitos do consumidor, além de denúncias realizadas nas redes sociais. Segundo o Procon, existem “fortes indícios que as empresas fizeram uma maquiagem nos descontos”. Para o consumidor, isso parece ter ficado bem evidente.

Os internautas também reclamaram das diversas dificuldades que encontraram para acessar alguns sites durante as tentativas de compras. Na primeira hora da Black Friday 2012 no Brasil, praticamente todos os principais e-commerces nacionais ficaram fora do ar por causa da demanda de acessos dos internautas, ficando apenas o Ponto Frio com o seu site funcionando, e com dificuldades para finalizar os pedidos. Nesse caso, o portal Busca Descontos, que é quem organiza a iniciativa da Black Friday no Brasil, será notificado para que apresente explicações sobre o incidente.

As empresas notificadas pelo Procon tem até o dia 30 de novembro para se justificar sobre a prática dos preços maquiados. Quanto ao consumidor, repetimos o alerta: se o preço do produto que você procura está muito acima daquilo que ele realmente vale, apenas para que o desconto resulte no preço normal dele, não compre o produto, e pesquise mais um pouco. E principalmente: denuncie as lojas que estão utilizando de tal prática.

Via UOL