info2-

A empresa de segurança AVG atualizou recentemente sua política de privacidade para introduzir pontos importantes, que indicam que eles podem recompilar e vender o seu histórico para terceiros, com o objetivo de obter dinheiro com essas informações.

Revisando os novos termos, é possível ver claramente que a AVG transforma o usuário em produto, com medidas que afetam a versão gratuita do seu software anti-vírus. A empresa pode recompilar informações não privadas dos usuários da versão gratuita de sua suíte, incluindo o histórico de navegação, metadados, do provedor de serviços de internet ou rede móvel e dados relacionados com outros aplicativos.

Um porta-voz da AVG informa que os dados são recompilados de forma opcional, e que os usuários podem desativar o recurso a qualquer momento, sem perda de funcionalidade do software. Mas bem sabemos que a maioria das pessoas não verificam a política de privacidade, e muitos deles vão ‘contribuir’ com a AVG sem saber.

Alexander Hanff, especialista em segurança e CEO da Think Privacy, deixa claro que, com essa mudança de posicionamento, o anti-vírus gratuito da AVG entra na categoria de ‘spyware’, qualificando a atitude da empresa como ‘falta de ética’ e ‘abusiva’, recomendando aos usuários a troca do software caso eles utilizem a versão gratuita da suíte de segurança.

Via Wired