Face ID

O iPhone X confirmou os rumores, e disse adeus ao botão Home e ao Touch Id, para dar lugar ao seu novo método de autenticação do usuário, o Face ID.

Nosso rosto vai desbloquear o nosso smartphone, confimrar compras na App Store e verificar pagamentos na Apple Pay. Mas… como esse sistema funciona?

O Face ID usa a câmera frontal e uma câmera infravermelha, além de uma luz de apoio e um projetor infravermelho. Ou seja, esse conjunto faz um reconhecimento tridimensional do rosto, detectando a profundidade e detalhes como distância entre os olhos, forma e tamanho do nariz, entre outras características fisionômicas.

 

 

O Face ID emite 30 mil pontos infravermelhos invisíveis, que ajudam a reconstruir o modelo matemático do rosto. Se uma quantidade específica (não revelada) de dados coincide, a identidade do usuário é verificada. Uma quantidade muito elevada de detalhes deixa margem para elementos não coincidentes, que são fáceis de se modificar em um rosto.

Logo, se você colocar ou tirar os óculos, usar óculos de sol, maquiagem pesada, deixar ou tirar a barba, colocar um chapéu e outras variações acontecerem, tudo será controlado, e não vai afetar na identificação pelo Face ID.

A verificação acontece em tempo real, com a ajuda do novo processador A11 Bionic, que traz um motor eu usa redes neuronais e machine learning para se adaptar às variações faciais, aprendendo o que muda no rosto do usuário para se antecipar e seguir realizando a verificação.

Ele é capaz de realizar até 600 bilhões de operações por segundo enquanto processa as imagens ao capturar o rosto. É um hardware específico e dedicado para o iPhone X.

 

 

O Face ID não pode ser enganado por fotos, moldes faciais em 3D ou outras formas de fraude (sem especificar quais). Provavelmente o sistema possui um mecanismo de detecção de vida.

Por outro lado, o usuário precisa olhar para o smartphone para desbloqueá-lo, e esta medida é pensada para evitar desbloqueios ou confirmações de pagamento acidentais, ou para que outra pessoa não veja o que estamos desbloqueando no iPhone.

A Apple também revelou as probabilidades de obter um falso positivo. No Face ID, é uma em um milhão, muito superior que no Touch ID (uma entre 50 mil) e que no bloqueio por senha de quatro dígidos (uma em 10 mil).