The-causes-of-selfierelated-fatalities

Já escrevemos alguns posts falando sobre a questão das mortes envolvendo selfies, uma vez que algumas pessoas não escolhem muito bem em qual situação vale a pena registrar uma foto dela mesma. Segundo um estudo realizado pela Priceonomics, a forma mais comum de uma pessoa morrer enquanto registra uma selfie é quando o indivíduo está em elevadas alturas.

Pelo menos um terço das fatalidades acontecem dessa forma, principalmente em prédios. Em agosto de 2015 (por exemplo), um chinês de 25 anos de idade perdeu a vida ao tentar registrar uma selfie do topo de uma queda d’água na China. Distraído com a câmera, el perdeu o passo e caiu de uma altura de 100 pés. A morte foi instantânea, e o corpo só foi encontrado dias depois.

Uma curiosidade: o celular ficou intacto, e ainda registrou a foto da queda.

The-causes-of-selfierelated-fatalities-1

No mês seguinte, um jovem de 17 anos na Rússia caiu de um prédio em uma cidade próxima a Moscou. Ele chegou a fazer a selfie, porém, logo depois disso, ele escorregou e caiu do prédio. Semanas depois, a sua foto foi utilizada para alertar outros usuários sobre os perigos dessa prática no Instagram.

A seguir, mais dados sobre o estudo, como os países que mais registram fatalidades nas tentativas de registros de selfies perigosas, e a já conhecida normativa russa sobre os locais onde as selfies são proibidas.

The-causes-of-selfierelated-fatalities-2 The-causes-of-selfierelated-fatalities-3



Via PriceonomicsBoingboing