ibm pc

Como a nossa memória é curta, não é mesmo?

Nos esquecemos das coisas com o passar das décadas, e muitos dos usuários de tecnologia mais novos não fazem a menor ideia do por que os PCs se chamam “PCs”.

Muito menos da conexão dos PCs com empresas como a Atari, ou com pessoas como Gary Kildall.

Alguns já viram documentários ou filmes que revisam a história da informática, mostrando a criação do PC, o crescimento da Microsoft e da Apple. Mas no caso do IBM PC, poucos conhecem a história.

A ideia de criar um computador pessoal na IBM apareceu depois da Atari ter abandonado o projeto, e a IBM assumiu a empreitada. Começou a negociar com Bill Gates e a Microsoft para colocar o BASIC nesse novo computador.

Já Gary Kildall, um visionário da Digital Research, foi a primeira pessoa a ligar um disco a um computador, além de criar um sistema operacional para tirar proveito do computador, nesse caso, o CP/M, além da BIOS, como ponte de integração do software com diferentes tipos de hardware.

Porém, Kildall seguia dando prioridades para suas próprias curiosidades e interesses tecnológicos, e não apreciava a posição dominante da IBM, algo que fez com que a gigante tecnológica abraçasse a solução de Bill Gates.

Isso foi crucial para que a Microsoft entrasse de vez no mercado de sistemas operacionais, atendendo às necessidades da IBM para o seu PC.

Em resumo: tudo poderia ter sido bem diferente no mundo de hoje se Kildall tivesse agradado mais a IBM. O CP/M seria o escolhido, e o MS-DOS – por exemplo – jamais vingaria com tanta força.

Ou não.