nanotubos

Um grupo de pesquisadores da Universidade da Califórnia em Irvine (EUA) descobriu uma nova tecnologia que pode abrir as portas para baterias com até 200 mil ciclos de recarga, ou seja, uma vida útil muito maior do que a oferecida hoje pelas baterias atuais, implicando várias décadas de vida.

Para você ter uma ideia mais clara da importância dessa descoberta, os nanocabos convencionais começam a falhar depois de 7 mil recargas, e nas baterias de íon-lítio atuais, a vida útil se conta normalmente em centenas de ciclos de carga e descarga. A nova tecnologia propõe o uso de nanocabos de ouro, que estão revestidos por uma capa de dióxido de magnésio, acompanhados de um gel de um plexigás.

nanowire

Graças a esse conjunto, esses nanocabos podem manter a sua forma original e evitar o desgaste inclusive depois de ciclos completos de até 200 mil cargas/descargas. Essa tecnologia poderia no mínimo garantir um maior tempo de vida útil dos dispositivos que temos hoje, indo além dos dois anos (em média) estabelecidos por convenção pelo mercado para os smartphones, por exemplo.

A notícia é, sem sombra de dúvidas, excelente, mas até o momento nem mesmo os próprios pesquisadores conseguiram esclarecer completamente alguns dos pontos dessa tecnologia, de modo que sua aplicação para soluções comerciais ainda é algo muito distante. Infelizmente.

Via Liliputing