iphone-teaser

A Apple foi alvo de um processo movido pela Ericsson em fevereiro de 2015, sob a acusação de infração de uma série de patentes (41 no total) relacionadas com as redes GSM, UMTS e LTE, tanto no iPhone como no iPad. A empresa sueca entrou com essa ação em várias jurisdições (regiões dos Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha e Holanda). E hoje (21), esse conflito parece ter chegado ao fim.

Apple e Ericsson entraram em um acordo de indenização pelas patentes infringidas. Não se trata de uma ação em relação ao design ou gestos no sistema operacional, e por isso o iPhone não será modificado. O acordo prevê que a empresa norte-americana pague uma porcentagem dos lucros obtidos por cada iPhone ou iPad vendido durante os próximos sete anos.

A Ericsson foi uma das principais fabricantes de telefones móveis, mas ficou relegada ao segundo plano, depois de sua parceria com a Sony chegar ao fim. Porém, esse pioneirismo jogou ao seu favor, já que eles acumulam mais de 35 mil patentes, a maioria delas relacionadas com tecnologias sem fio. Muitas empresas já fecharam acordos com eles, mas a Apple foi bem teimosa, e não fez isso.

No final, o resultado foi o esperado. Não foi revelada a quantidade de dinheiro envolvida no acordo (ou quanto que a Ericsson vai receber por cada unidade vendida), mas dado o volume de vendas do iPhone, é de se imaginar uma soma considerável. As empresas estão trabalhando juntas na implementação do 5G, otimização de redes e gestão do tráfego de vídeos.

Via TechCrunch