A Apple está ciente que o seu serviço de Mapas é, definitivamente, muito ruim. E para ajudar a consertar o estrado, a empresa busca a ajuda daqueles que deixaram a empresa concorrente, contratando os antigos funcionários do Google que estavam relacionados de alguma forma com o projeto do Google Maps.

De acordo com matéria publicado pelos sites TechCrunch, IntoMobile e BGR.com, a gigante de Cupertino está disposta a contratar os serviços daqueles profissionais que não mais possuem contrato de trabalho com a gigante de Mountain View. Seis novas vagas de trabalho para desenvolvedores foram abertas para integrar ao time de trabalho do iOS Maps, e segundo as fontes, a Apple já está entrando em contato com alguns dos profissionais dos concorrentes.

Segundo as fontes, uma das maiores dificuldades da Apple nesse momento de busca e contratação de profissionais é convencer aqueles que antes trabalhavam em um sistema “home office” e com horários bem flexíveis a se mudarem para Cupertino, para entrar em um sistema mais rígido e burocrático de trabalho.

Bom, é desnecessário lembrar que, com uma boa dose de dinheiro, a Apple resolve esse problema com relativa facilidade. Porém, esse é o menor dos problemas deles nesse momento. Há muito trabalho a ser feito para a empresa de Cupertino se colocar ao menos em uma condição aceitável nesse aspecto. Nesse momento, mais de 7 mil pessoas estão envolvidas no Google Maps, sendo que 1.100 funcionários de Mountain View se dedicam em tempo integral ao seu sistema de mapas. Não creio que, com apenas seis novos funcionários, a Apple vai produzir a “mágica” de consertar algo que foi feito por uma criança de quatro anos de idade.

Outros rumores (de fontes anônimas) já sugerem que o “Mapsgate” da Apple é tão sério, que a empresa já pensa em renovar a licença de uso dos mapas do Google, justamente para ter tempo de desenvolver melhor o seu sistema de mapas. A Apple, obviamente, não confirma nada. Mas… vamos esperar, não é mesmo?

Via TechCrunch, IntoMobile, BGR.com, CNET