No mundo dos tablets, o iPad da Apple sempre foi considerado o produto onipresente, ou um claro dominador no seu segmento, desde o dia em que chegou ao mercado. Quando os primeiros tablets Android foram lançados, a dominância do iPad era grande demais, uma vez que oferecia vantagens que os demais não contavam, mesmo com um preço mais elevados. Porém, o tempo passou, e o cenário muda gradativamente. E com uma velocidade que começa a ser representativa para que, em breve, esse jogo do poder no mundo dos tablets vire.

O IDC fez o seu tradicional estudo de mercado, analisando o desempenho de cada produto/sistema nos últimos três meses. E mesmo que você diga que os números são frios. podemos dizer que o crescimento dos tablets com Android é algo real e imediato. Com o aumento das opções disponíveis para o usuário, e com preços inferiores aos cobrados pela Apple (e esse acaba sendo um fator decisivo para a compra), a vantagem do iPad passa a ser cada vez menor.

De fato, a Apple perdeu 9.3% de cota de mercado entre o terceiro trimestre de 2011 e o mesmo período de 2012. Hoje, o iPad tem, em todas as suas versões, 50.4% de mercado. Ainda é mais da metade, mas essa vantagem era de quase 60% em 2011, e mais de 70% em 2010. A Samsung é a vice-líder, mas muito distante da gigante de Cupertino. Por outro lado, registrou um forte crescimento de um ano para outro: de 6.5% em 2011 para 18.4% em 2012, ou seja, triplicou a sua cota.

A Amazon também conta com um mercado considerável com a sua família Kindle Fire, contando agora com 9% do mercado. Não podemos registrar o seu crescimento em relação ao ano passado, pois o Kindle Fire simplesmente não existia no terceiro trimestre de 2011. Já a Asus, com o Google Nexus 7, cresceu 243% na sua cota de mercado, mas vale registrar que os números de vendas dos tablets da empresa nunca foram tão expressivos assim.

Abaixo, a tabela publicada pela IDC.

A Samsung obteve o seu crescimento graças à linha Galaxy Tab e ao Galaxy Note de 10.1 polegadas. A empresa sul-coreana vendeu 5.1 milhões de tablets no terceiro trimestre de 2012, ganhando assim uma porcentagem de 11.9%. Essas vendas foram impulsionadas pelo sucesso da família de smartphones Galaxy, e com as grandes campanhas de marketing feitas em todo o planeta. A Amazon está se dando bem graças aos seus preços competitivos. Deve crescer ainda mais com a chegada do Kindle Fire HD, mas são mais limitados que os seus concorrentes. São dispositivos basicamente restritos aos produtos da própria Amazon, e isso pode pesar com o passar do tempo.

Em termos de fabricantes, apesar de perder mercado em relação ao ano passado, a Apple ainda segue com o produto dominante. Porém, ver a empresa de Tim Cook perder 10% de mercado de qualquer coisa não é algo que se vê todo dia. A expectativa é que essa cota tenha uma recuperação com a chegada do iPad Mini (apesar do seu lançamento não ser tão impactante quanto o esperado, com pequenas filas diante das lojas da Apple), e é sempre bom lembrar que as demais versões do iPad ainda vendem muito: foram 14 milhões de unidades vendidas no último trimestre, contra 11 milhões do mesmo período em 2011. Ou seja, a Apple não vendeu menos. Foram as outras que venderam mais.

A pergunta que não quer calar é: por quanto tempo a dominância da Apple vai prevalecer. Como fabricante, ainda deve durar mais algum tempo. Mas acredito que, muito em breve, veremos os tablets Android (combinados) assumirem a liderança de mercado de tablets, assim como fizeram com os smartphones.