ios-7-banner

Divulgamos aqui no blog na última sexta-feira (11) que a rede China News publicou uma matéria que criticava a função de geolocalização frequente e automática do iPhone com iOS 7. Tal recurso permite a identificação da localização do usuário para determinar os locais que o mesmo visita com maior frequência.

A Apple não demorou para responder essas críticas. Eles lembram que tal função de geolocalização não está ativa como padrão, e que é o usuário que deve habilitá-la, se assim desejar. Além disso, a Apple garante que esses dados não são utilizados para monitorar o caminho dos proprietários do iPhone, mas apenas e tão somente para obter informações dos hábitos desses usuários, que podem ser úteis para oferecer produtos e serviços, como restaurantes na região e cálculo do tempo gasto para nosso destino.

Sobre a privacidade dos dados, a Apple também garante que as informações geradas por esta geolocalização só são armazenadas no dispositivo do usuário, e que a mesma está codificada, não sendo transferida para serviços como iTunes ou iCloud. Os usuários podem controlar qual informação de geolocalização o iPhone pode reconhecer, e para qual finalidade será utilizada.

Tais explicações, vindas da Apple, Google, Microsoft ou de qualquer outra gigante de tecnologia, nunca são exageradas, pois os usuários devem sempre ter a oportunidade e o direito de conhecer exatamente quais dados geram nossos dispositivos, e o que são feitos com esses dados. E, em caso de dúvidas, também é fundamental que o usuário tenha a possibilidade de interromper a geração desses dados.

Via The Next Web