Apple-Watch-tela-quebrada

Gareth Cross, um proprietário de uma unidade do Apple Watch, processou a Aple no Reino Unido ao descobrir uma fratura no cristal protetor do seu smartwatch, com apenas 10 dias de uso.

Cross foi para uma loja oficial da Apple solicitando a reparação, mas a mesma afirmou que a garantia não cobria tal dano. Ele não teve dúvidas em processar a empresa pela postura, com o argumento que a mesma violava as leis britânicas conhecidas como Sale of Goods Act (algo parecido com o Código de Defesa do Consumidor), que reconhece os direitos e deveres das duas partes na compra e venda de bens de consumo.

No final, os advogados de Cross derrotaram os da Apple em um processo judicial que durou seis meses. A Apple foi condenada a pagar os custos totais de uma unidade do Apple Watch, ou seja, 429 libras. Não faz cócegas aos cofres da gigante de Cupertino, mas a importância moral da decisão vai além do valor econômico.

Mesmo porque não é qualquer um que derrota a Apple nos tribunais.

Via CultofMac