A Apple atualizou as políticas da App Store, e abriu oficialmente guerra contra a mineração indiscriminada das criptomoedas.

A decisão foi tomada depois da polêmica gerada pelo aplicativo Calendar 2, alojado no Mac App Store, que estaria minerando o Monero. Isso gerou revolta entre os usuários, o que resultou em algumas medidas.

A Apple atualizou as suas diretrizes para aplicativos, com o objetivo de garantir que os desenvolvedores não adicionem a função em nenhum programa dentro do ecossistema da empresa:

2.4.2 Desenvolva o seu aplicativo para usar a energia de forma eficiente. Os aplicativos não devem gastar rapidamente a bateria, gerar calor excessivo ou exercer uma pressão desnecessária sobre os recursos do dispositivo. Os aplicativos, incluindo os anúncios de terceiros exibidos neles, não podem executar processos de fundo não relacionados, como a mineração de criptomoedas.

A mineração de criptomoedas se destaca especialmente por utilizar os recursos dos equipamentos que utilizam algum aplicativo ou acessam um site web. Os aplicativos que funcionam como wallets estarão admitidos sempre e quando os seus desenvolvedores estão inscritos como uma organização na plataforma. Ao mesmo tempo, os apps que promovem ICOs deverão ser entidades estabelecidas.

 

Via Engadget