sim-cards

No ano passado, a Apple surpreendeu com o seu Apple SIM, um SIM card para iPad que tinha vantagens interessantes na hora de trocar de operadora sem precisar trocar o SIM fisicamente. A ideia parecia estar relegada ao pessoal de Cupertino, mas agora vem a Samsung e a GSMA para implementar o chamado E-SIM.

De acordo com o Financial Times, esse SIM faria com que o usuário não precisasse usar um SIM específico para cada operadora de telefonia, permitindo a troca de um para outro de acordo com nossa conveniência, e de forma rápida e simples. Vários gigantes das telecomunicações estão apoiando essa inciativa.

O que mais chama a atenção é a participação da AT&T, que nunca viu com bons olhos a inclusão do Apple SIM no ano passado. Também estão operadoras como Deustche Telekom, Etisalat, Hutchison Whampoa, Orange, Telefónica e Vodafone. Isso faria com que em breve os futuros smartphones já não contassem com slot para SIM cards, e que nos esqueçamos desses cartões e de seus adaptadores, muito utilizados quando trocamos de smartphone.

e-sim

A medida é aparentemente muito vantajosa para os consumidores, facilitando a mudança de operadora quando necessário. Inclusive parece algo factível poder trocar de plano a qualquer momento, de acordo com as nossas necessidades, mesmo presos ao contrato com alguma operadora.

Por outro lado, os fabricantes vão enfrentar complicações no design interno dos seus dispositivos, o que também deve beneficiar aos usuários. Com a redução de custos, em caso de perda ou roubo, fica mais fácil o gerenciamento remoto do smartphone.

Resta saber como vai se adaptar esse tipo de SIM entre as operadoras menores ou fora do país, quando o roaming entrar em ação. Mas supomos que esta adaptação geral pode ser acelerada se os gigantes do setor (operadoras e fabricantes de smartphones) apoiarem esse tipo de transição.

Também há dúvidas sobre o impacto que esses SIM cards podem ter na privacidade e segurança dos usuários, ou se torna mais difícil as opções de branding das operadoras, que terão que renunciar a prática se adotarem esse tipo de solução.