A Fair Labor Association levou apenas um mês para apresentar um completo e extenso relatório sobre as condições de trabalho nas fábricas da Foxconn, onde são fabricados os produtos da Apple. O resultado dessa investigação não é tão negativo, considerando a reputação da fabricante taiwanesa, mas indica que várias melhorias devem acontecer, para proteger os trabalhadores.

Por exemplo, descobriu-se que as três fábricas violam as leis chinesas, que permitem o tempo máximo de trabalho de 36 horas extras ao mês. Durante o período de grande demanda, a jornada média de trabalho na Foxconn era de 60 horas semanais, durante sete dias seguidos.

Com isso, a Foxconn chegou a um acordo com a Apple, para seguir as “sugestões” da FLA a partir de julho de 2013, e garante o cumprimento da lei, prometendo reduzir as horas de trabalho, aumentando os salários e contratando funcionários adicionais para manter o nível de produção atual. Por fim, a Foxconn vai melhorar as condições dos dormitórios e vai cuidar da saúde dos funcionários.

Espero, de verdade, que a Foxconn cumpra com suas promessas. Afinal de contas, é possível obter dispositivos eletrônicos de alta qualidade e bom preço, sem abusar dos trabalhadores. E isso, em nenhuma parte do mundo. Para mais detalhes sobre o relatório da FLA, clique aqui.

Via 9to5Mac