650_1000_apple-beats-music

Demorou, mas se confirmou. A Beats agora é uma empresa da Apple, em uma operação com um valor total de US$ 3 bilhões. A venda foi confirmada pela própria Beats, em sua conta oficial no Twitter, além de um comunicado oficial da gigante de Cupertino, em sua página oficial na web.

A compra inclui tanto o serviço Beats Music como toda a Beats Electronics, algo que pelo o que comenta Tim Cook, tem como objetivo principal ampliar as perspectivas com tudo o que está relacionado com a música na Apple. Movimento esse que, convenhamos, é algo bem lógico.

A Beats Music agrega à loja iTunes um serviço já consolidado, mesmo ficando longe de ser um dos líderes do seu segmento de streaming, mas que será combinado com o iTunes Radio. A distância que os demais competidores está abrindo em relação à Apple nesse segmento é grande demais para que a empresa não comece a tomar medidas para tentar refrear esse crescimento.

Por outro lado, a Beats Electronics abre a porta para uma linha de acessórios e produtos de hardware musicais no catálogo da Apple. Não podemos nos esquecer que, muito além da qualidade sonora, a Beats é uma marca consolidada nas vendas, e é líder nos Estados Unidos, totalmente alinhada a um segmento jovem e premium, algo que é muito interessante para a Apple (já que se alinha muito bem à sua filosofia de trabalho).

Os co-fundadores da Beats, o produtor musical Jimmy Iovine e o rapper Dr. Dre passam a fazer parte do grupo de funcionários da Apple – isso faz parte do acordo -, que inclui a manutenção da marca Beats.

Via Apple, @BeatsByDre