apple-logo-620.jpg

O último trimestre da Apple (terceiro trimestre fiscal de 2013, que compreende ao segundo trimestre de 2013) não foi lá muito destacado em termos de lançamentos, e isso se refletiu no relatório financeiro da empresa, que mostra uma perceptível queda nas vendas e lucros.

No total, a Apple arrecadou US$ 35.3 bilhões entre os meses de abril e junho, e nesse período, o lucro foi de US$ 6.9 bilhões. No trimestre passado, esse volume de vendas foi maior (US$ 43.6 bilhões), mas se analisarmos o desempenho ano a ano, esse número vem caindo gradativamente. Principalmente no quesito lucros: em 2012, no mesmo período de análise, a Apple lucrou US$ 8.8 bilhões.

Essa queda pode ser atribuída ao descenso das vendas dos produtos iPad e Mac ao redor do planeta. A Apple vendeu 14.6 milhões de tablets durante o segundo trimestre de 2013, enquanto que no trimestre anterior, as vendas foram de 19.5 milhões de unidades (no mesmo período em 2012, essas vendas foram de 17 milhões de iPads).

Algo parecido acontece com os seus computadores, apesar de que, nesse caso, a queda é menos acentuada, uma vez que a empresa vendeu nesse trimestre 3.8 milhões de Macs, contra os 4 milhões vendidos no mesmo período em 2012.

Felizmente (para a Apple), o iPhone segue como um campeão de vendas. 31.2 milhões de unidades foram comercializadas no último trimestre, sendo este um novo recorde de vendas para esse período do ano. Para colocar o assunto em perspectiva, as vendas desse mesmo período em 2012 ficaram na faixa de 26 milhões de unidades.

Agora, algo que não surpreende ninguém nesse relatório financeiro é a queda nas vendas da família iPod, que nesse último trimestre de análise financeira ficou em 19% (em 12 meses, a queda de vendas dos modelos iPod já é de 32%). Mais uma vez, nesse caso, as vendas do iPhone ajudam a compensar a crescente debandada dos usuários em relação aos reprodutores de música portáteis. Até porque, diante de todos, o iPod se transformou em um produto quase obsoleto.

A Appe revelou os seus números financeiros trimestrais durante a teleconferência realizada com profissionais da imprensa e investidores. Peter Oppenheimer, chefe de finanças da empresa de Cupertino, explicou que a queda de vendas no iPad se deve em parte à falta de atualizações na linha. Sem uma nova versão, os usuários da empresa se sentem incentivados a mudar de plataforma.

Quanto aos Macs, ainda que as vendas tenham registrado uma queda de 7%, Peter argumenta que o segmento de PCs (de um modo geral) caiu 11% no último trimestre, o que implica que a Apple está aumentando a sua cota de mercado, mesmo registrando queda nas suas vendas.

As vendas do iPhone também foram mencionadas. Peter informou que no Japão aconteceu um aumento de vendas de 60% em um ano. Tim Cook, por sua vez, acredita que o iPhone está longe de estagnar no mercado, graças às oportunidades que o produto oferece fora do mercado norte-americano, e o mesmo acontece com o iPad, que registra aumento de vendas de dois dígitos em mercados como China, Japão e Canadá, entre outros países.

Por fim, vale a pena cintar que a Apple ainda conta com uma reserva de US$ 146 bilhões para realizar novas aquisições estratégicas, desenvolvimento de produtos e pagamentos de grande porte.

Via Apple