beepers-pagers

Na década de 1990, os beepers (ou pagers) eram objetos de desejo de muitos geeks da época. Eram dispositivos prontos para receber notificações 24 horas por dia, e antecipou o que hoje conhecemos como SMS. Oficialmente, esta tecnologia morreu em 2012.

 

Primeiro poucos, depois muitos

Muito utilizado nos países tecnológicos durante o seu auge, os beepers eram usados por aqueles que precisavam ser encontrados o tempo todo, e para quem poderia pagar pelo serviço.

Médicos, diretores, pilotos, policiais… rapidamente se tornaram populares, mas no começo eram para poucos.

A origem dos beepers vem do ano 1921, ano que foi construído um dispositivo que permitia aos membros do Departamento de Polícia de Detroit se tornarem localizáveis a todo o momento. mas só em 1949 o gadget recebeu o nome que conhecemos hoje, batizado por Al Gross.

Os beepers saltaram de profissão, e os hospitais se uniram aos policiais no uso do dispositivo, que exigia frequências muito específicas e passadas pela FCC para funcionar.

O dispositivo foi evoluindo com o passar do tempo. Inicialmente, só exibiam uma simples notificação, e teria que ligar para um número em específico para obter mais informações. Depois, começaram a enviar diretamente o número de telefone que nos procurava, e por fim começaram a exibir mensagens de texto, similares aos SMSs.

 

Chegaram os anos 90

Quem nasceu depois dessa década nunca ouviu falar dos beepers, mas foi nessa década que o dispositivo viveu o seu auge.

Quase todo mundo que queria um tinha o produto, e até a Coca-Cola ajudou na sua popularização. Esse beeper estava disponível na Europa, e tal como os demais produtos do seu segmento, começou a perder sua popularidade com a chegada dos smartphones.

Os pagers seguiram funcionando por mais algum tempo, chegando ao fim de suas atividades no planeta em 2012. As operadoras decidiram encerrar um sistema de troca de mensagens que funcionou por décadas e que, contra qualquer previsão, era mais confiável que os atuais sistemas que usam hoje os smartphones, já que não dependem de satélites.

 

O fator nostalgia

Hoje, ainda é possível encontrar beepers de todos os tipos em sites de vendas de produtos de segunda mão. Não são operacionais, mas seguem com alta cotação por conta do seu valor nostálgico. Não é estranho encontrar colecionadores que pagam um bom dinheiro em algum modelo mais raro.

Os beepers morreram por conta da popularização dos celulares. Foram os pais dos serviços SMS, assim como estes foram os pais dos serviços de mensagens instantâneas. O WhatsApp de hoje nasceu há quase 100 anos, e era usado pelas forças da lei. Curiosamente, o mesmo nascimento que a atual internet.