ios

Não sabemos se é o espaço de armazenamento do smartphones que não cresce, ou se são os aplicativos que aumentam de tamanho. Fato é que isso está se transformando em um problema sério, e os aplicativos estão ficando mais pesados com o passar do tempo.

Android e iOS evoluem e implementam melhorias. E isso influencia no peso dos aplicativos. Mas esse peso é mais perceptível no sistema operacional da Apple, e agora temos uma explicação plausível para isso.

Khamosh Pathak, jornalista especializado em tecnologia, afirma ter consumido até 10 GB de dados por mês no seu iPhone apenas com atualizações de aplicativos. O aplicativo do Facebook, utilizado para os testes, tem um peso de 200 MB na App Store do iOS, mas suas atualizações podem registrar downloads de até 300 MB, que serão descompactados no smartphone.

Quando o mesmo teste é repetido no Android, um aplicativo listado como 70 MB na Google Play tem downloads que rondam os 30 MB. O app do Facebook não é famoso por sua leveza, mas daí a multiplicar por dez a diferença entre Android e iOS no update? Já é demais!

Também foram feitos testes com aplicativos diversos como Uber, Pokémon Go e Microsoft Excel, e não só esses apps pesam muito menos no Android como suas atualizações são menos pesadas. E para um aplicativo que é atualizado duas vezes por semana, isso pode ser um grande problema no iOS.

Pathak coloca a culpa desse problema na diferença de qualidade entre os aplicativos. Enquanto os apps do Android são desenvolvidos para rodar em smarphones de diferentes níveis, os apps do iOS sempre são focados em dispositivos top de linha, mesmo que eles permaneçam no mercado por anos.

 

 

Logo, os desenvolvedores tendem a implementar todo o tipo de melhorias nos seus aplicativos, entregando verdadeiros mastodontes que sangram os dados dos usuários. E não só na hora do download, mas também no armazenamento.

Pacotes de atualização são bem vindos, mas muitos desenvolvedores não otimizam o código dos seus apps para deixá-los menos pesados. Uma linguagem que não é estável requer uma grande quantidade de componentes para sua compilação, o que resulta em um aumento de tamanho do aplicativo.

Um desenvolvedor que preferiu ficar no anonimado culpa os próprios desenvolvedores, que raramente se preocupam a limpar o código dos seus aplicativos. É surpreendente o número de apps que utilizam códigos abertos que podem ser encontrados no GitHub, onde nada é adaptado de forma correta.

Some tudo isso aos apps com código cifrado, com binários muito maiores do que se necessitaria no Android, e temos um arsenal de motivos que indicam uma solução complexa. Ainda que a Apple esteja trabalhando nisso, a redução das atualizações não deve estar próxima de ser solucionada pela empresa.

Os smartphones evoluíram, e os armazenamentos internos cresceram com eles. Se, em 2018, 8 GB eram mais que suficientes, hoje os 32 GB que são o padrão do mercado podem ser poucos. No caso da Apple, os smartphones com 16 GB finalmente foram eliminados. Mas isso não soluciona o problema.

Alguns aplicativos multiplicaram até por 12 sua exigência de espaço em poucos anos. É um crescimento muito maior do que o das memórias dos smartphones. E isso porque não falamos do cache que gera cada um dos apps no seu uso regular.

 

 

Um dos desenvolvedores consultados foi além, e coloca a culpa na bolha tecnológica que Silicon Valley e arredores vive hoje. Quem trabalha na região tem internet 4G, WiFi veloz em casa e smartphones com pelo menos 64 GB de armazenamento. Isso cria um ponto cego que impede os profissionais de ver e sentir as reais necessidades do usuário médio.

Seja como for, a Apple tem um problema real de peso nos aplicativos da App Store. Um problema menor em relação ao próprio download em si, mas palpável quando falamos das atualizações.

É melhor a Apple solucionar isso, pois o iOS segue avançando mais rápido que o espaço interno dos iPhones cresce.

Pelo menos por enquanto.

 

Via Gadgets360