PCs

Análises de mercado da IDC e da Gartner atualizam os dados sobre as distribuições de PCs no segundo trimestre de 2016, onde vemos que mais uma vez temos uma queda nas vendas, mas menos acentuada que no trimestre anterior.

Cada empresa de análise faz uma estimativa que revela números diferentes, mas não contrastantes. A Gartner estima uma queda de 5,2% nas vendas, ou 65,3 milhões de unidades, enquanto que a IDC projeta queda de 4,5%, ou 62,4 milhões de unidades.

vendas pcs fabricantes q2 2016

Na prática, esses são os números mais próximos dessas estimativas, e o fato é que a pendente queda das vendas segue nesse segundo trimestre de 2016 depois de seis trimestres consecutivos de quedas. Fato é que uma porcentagem menor do que as duas análises indicaram no trimestre anterior (8,3% na Gartner, 10,6% na IDC).

 

Uma nova divisão do bolo

A Apple ainda sai mais ou menos vitoriosa por ser o único fabricante que não teve um crescimento negativo em relação ao mesmo momento em 2015. Porém, nesse trimestre, a gigante de Cuértino experimentou números negativos, assim como Lenovo, e diferente da Dell, HP, Asus e Acer, que registraram crescimento positivo.

vendas pcs fabricantes q2 2016 02

Sobre os fabricantes menores, os números seguem negativos, com queda de 19.1% na Gartner e 16,8% na IDC. Pese esse dado aos anteriores, e as empresas acreditam que a indústria de PCs experimenta tímidos sinais de melhora, principalmente depois de registrar quedas mais modestas que nos últimos trimestres.

A Gartner comenta que o fato dos Estados Unidos registrarem crescimento das vendas e que tanto o segundo como o terceiro trimestre são historicamente períodos de mais compras podem ser um bom sinal tanto para o Windows 10 como para as vendas de computadores no país. Aqui, a IDC adiciona que as marcas líderes nos EUA são HP e Dell, mas Lenovo e Acer também registraram forte crescimento.

O cenário muda de figura quando falamos da Ásia, que registrou queda nas vendas de 6,3%, ao mesmo tempo que os smartphones crescem nas vendas. A empresa aqui indica que possivelmente há uma substituição dos tipos de dispositivos, e não é de se estranhar que estamos vendo o peso que alguns países como Índia recebem no mercado.

Sobre o Brexit, a Gartner informa que no segundo trimestre não houve qualquer impacto nesse sentido, mas revela que a queda da libra esterlina em relação ao dólar pode promover um aumento de preços que deve ser sentido no quarto trimestre de 2016.

Via Gartner e IDC