windows-10-insider

Por que simplificar se podemos complicar, não é Microsoft?

A gigante de Redmond decidiu esclarecer (ou descomplicar) uma série interminável de interpretações equivocadas sobre aquilo que a empresa escreveu, mas que poucos entenderam. Isso já aconteceu com as cópias não legítimas do Windows, e durante o último final de semana, aconteceu o mesmo com todos aqueles que fazem parte do programa Windows Insider.

A Microsoft esclarece que aqueles que hoje são membros do programa Windows Insider terão sim o direito a uma licença do Windows 10, mas sempre e quando ele continuar no programa. Se ele sair, ele perde a licença gratuita. Gabe Aul, Program Manager do Windows Insider, publicou uma atualização nos termos que habilitam essa gratuidade, para que não deixar dúvidas:

Na sexta-feira (19), queríamos deixar claro como funciona o programa Windows Insider, e ao tratar do assunto criamos uma certa confusão involuntária. Peço sinceras desculpas por isso, e vou tratar de ser o mais claro possível a seguir, com o objetivo de deixar a informação correta.

Para resumir:

– Quer uma licença gratuita do Windows 10? Precisa continuar no programa Windows Insider.
– Não quer seguir recebendo as builds por ser Windows Insider? Então não terá uma licença do Windows 10, e deverá ter uma licença do Windows 7/8.1 para obter a atualização gratuita.

Ou seja, todos os que hoje estão no programa Windows Insider receberão no próximo dia 29 de julho a atualização da versão final do Windows 10 e sua respectiva licença para atualização. Mas se depois disso sair do Windows Insider, também perde essa mesma licença do Windows 10, restando assim duas opções: atualizar o seu computador a partir do Windows 7/8.1 de forma gratuita durante o primeiro ano de lançamento do Windows 10, ou comprar a licença do novo sistema operacional.

windows-10-insider-02

Seguir como Windows Insider garante a licença do Windows 10, mas também vai manter o envio das atualizações de testes, ou seja, builds com falhas e características não encerradas que podem afetar a experiência de uso e colocar em risco os dados salvos.

No final das contas, a decisão é sua. As opções estão sobre a mesa, e parece que agora a Microsoft deixou tudo muito claro. Esperamos que não aconteçam novas atualizações nessas informações.

Simplifica, Microsoft!

Via Microsoft