Android N

O Android N já está com preview público disponível desde a semana passada. Além das mudanças no design e melhorias no modo de consumo de energia, uma das grandes novidades da nova versão é a multitarefa com tela dividida, função similar ao que já vimos no iOS e implementada por fabricantes como Samsung e LG.

Porém, algo não divulgado oficialmente aparece em um código com suporte experimental, que é a habilitação de janelas “livres”, que indicam que a Google pensa em algo mais avançado no multitarefa, com o desktop em mente.

Faz algum tempo que se fala do potencial do Android nos desktops  como sistema básico alternativo ao Windows, aproveitando o hardware de baixo nível e apoiado nos milhares de aplicativos e jogos do Android. Também na grande massa de usuários do sistema, mesmo da grande distância entre dispositivos móveis e PCs, com necesidades bem diferentes.

Até agora, a Google baseou sua estratégia nos desktops no Chrome OS, com grande aceitação no setor educacional e mercados regionais de consumo, mas sempre como um nicho específico e sem uma cota relevante ou que ameace o monopólio do Windows nos desktops.

A referência ao Android N está no arquivo “framework-res.apk”, que se enumera unto a outros ajustes na tela “Configuração de Desenvolvedores”, e que aparecem em importantes componentes do sistema, como SystemUI e SetupWizard, o que indica algo a mais do que a tela dividida.

androidN_remixos

São citadas janelas flutuantes e de livre disposição ou botões de fechar e maximizar, elementos comuns a qualquer sistema operacional de escritório, e que podemos ver no Remix OS para PC (foto acima). Já nos smartphones, tais funções são bem inúteis. Seriam mais úteis nos tablets, mas nos desktops teriam verdadeiro sentido.

Nos próximos meses veremos onde a Google quer chegar.

Via ArsTechnica