Com o objetivo de capitalizar mais um pouco nas já decadentes vendas de CDs, a Amazon dos Estados Unidos anunciou um novo programa de compras para o fã de músicas. O AutoRip tem como objetivo principal estimular as vendas dos CDs que ainda estão no estoque da Amazon, mas também facilitar a vida do usuário que ouve músicas em dispositivos digitais, uma vez que o cliente recebe o álbum digital de graça na compra do mesmo álbum no formato físico.

O AutoRip também oferece uma alternativa para aqueles que não são muito familiarizados com o processo de “ripagem” de CDs (acredite, muita gente entra nesse grupo), além de poder promover o seu serviço de armazenamento de músicas na nuvem, o Amazon Cloud Music. Com isso, eles esperam pegar um pouco do mercado da Apple iTines, que tem a preferência (e a conveniência) de quem já é dono de um iPad, iPhone ou iPod.

O programa basicamente oferecer a cópia digital do CD físico no ato da compra do produto. Como forma de impulsionar a proposta, todo e qualquer CD comprado na Amazon desde 1998 (e já se falava de ripagem de CDs naquela época) foi automaticamente convertido para o formato de álbum digital, e está disponível na conta dos usuários da Amazon Cloud Music. É um bom começo para quem é realmente fã de música e tem uma vasta biblioteca de CDs comprados na Amazon, além de uma ótima oportunidade de ter todas essas músicas no formato digital, de forma legalizada, e com alta qualidade (256 Kbps).

Infelizmente, nem todas as músicas estão elegíveis para entrar no AutoRip, e nem todos os álbuns (e até mesmo músicas selecionadas dos álbuns habilitados para o serviço) estarão disponíveis no formato digital nesse primeiro momento. A Amazon ainda está negociando com as três grandes gravadoras do mercado fonográfico acordos de alguns artistas e faixas, além de negociar com as gravadoras independentes. A ideia é que, no futuro, de forma efetiva, todos os CDs comprados desde 1998 estejam disponíveis no serviço.

A ideia da Amazon é interessante. A maioria das pessoas que ainda compram CDs são aquelas que não se adaptaram completamente às novas tecnologias, mas ao mesmo tempo, a Amazon oferece a proposta digital, caso algum dia ela queira migrar do CD player para o MP3 player. Mesmo em declínio, segundo a Nielsen/Billboard, as vendas no formato físico ainda são grandes responsáveis pela movimentação do mercado fonográfico, e ninguém quer desperdiçar isso.

Via VentureBeat